Morre Cláudio Petráglia, ex-diretor da Band

Profissional fez seu último trabalho no canal Arte 1

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O coronavírus fez mais uma vítima fatal na classe artística. Nesta quarta-feira (31), a doença levou o ex-diretor de TV Cláudio Petraglia, que fez história nos bastidores da programação da Band na década de 1970.

Ele estava internado há cerca de um mês em um hospital do Rio de Janeiro, lutando contra os efeitos da enfermidade, mas acabou não resistindo. Por meio de comunicado enviado por sua assessoria de imprensa, o canal do Morumbi lamentou a perda de tão importante nome de sua história.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É com imenso pesar que o Grupo Bandeirantes comunica o falecimento de Cláudio Petraglia, aos 91 anos, vítima da covid 19. Responsável por grandes momentos da televisão brasileira, dedicou sua vida às artes e dirigiu sucessos da dramaturgia e da música popular brasileira, cujo maior acervo encontra-se na Bandeirantes“, declarou a emissora.

Cláudio teve uma trajetória marcante na TV Bandeirantes, atuando como diretor artístico em 1972. Posteriormente, ajudou a fundar a Band RJ em 1977, onde implementou o tripé que norteia a filosofia da emissora: jornalismo, esportes e entretenimento.

Em 1964, escreveu a novela O Pintor e a Florista, para a TV Excelsior e, no ano seguinte, O Mestiço, na TV Tupi. Em 1969, ajudou a fundar a TV Cultura, onde também atuou como diretor artístico, além de ter sido diretor-presidente do Pólo Cine e Vídeo de Comunicação, localizado no Estúdio Oscarito.

Seu último trabalho foi no Arte 1, onde estava recuperando arquivos do teatro Cacilda Becker para fazer uma reedição que iria ao ar no canal. Ele deixa um filho, Marcelo Petraglia, fruto de seu primeiro casamento.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio