MJ recomenda manutenção da classificação indicativa do Big Brother Brasil

Suposto assédio de Pyong Lee a colegas foi citado no parecer do caso

Publicado há 3 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A classificação indicativa do Big Brother Brasil não deve sofrer alteração significativa tão cedo – pelo menos no que depender do Ministério da Justiça. Um relatório concluído nesta semana pelo órgão do governo federal recomenda que a Globo mantenha o programa como não recomendado para menores de 12 anos.

O documento descreve e analisa fatos ocorridos na última edição do formato da Endemol por aqui, como a troca de palavrões entre os participantes o aparente assédio do influenciador digital Pyong Lee às companheiras de confinamento Marcela e Flayslane.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Considerando o relatório técnico apresentado, a descrição fática, as tendências de indicação e os aspectos temáticos, contextuais e informativos, opino pela atribuição de classificação indicativa de: ‘Não recomendado para menores de 12 anos, por conter drogas lícitas e linguagem imprópria’“, conclui o parecer 66/2020, que tratou do caso.

A análise em questão leva a assinatura da coordenadora de Política de Classificação Indicativa do MJ, Patrícia Grassi, e recomenda ainda a exibição do BBB para após as 20h – ‘sugestão’ que não significaria problema algum para a Globo em edições futuras do programa.

Com informações do portal UOL.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio