Mesmo com avanço de Coronavírus, dono da RedeTV! quer gravar programa com plateia

Publicado há 7 meses
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos donos da RedeTV! e apresentador do programa Mega Senha, exibido nas noites de sábado, o vice-presidente da emissora, Marcelo de Carvalho, não quis cancelar uma gravação agendada do game show para esta semana. Pelo contrário. Carvalho quer a presença de público em sua platéia de qualquer forma.

Segundo apurou o Observatório da TV, Carvalho deseja, senão 100% de presença, pelo menos 50% de ocupação do auditório do programa exibido semanalmente. Diretores da emissora de Osasco ainda tentam tirar esta ideia dele, argumentando que será difícil conseguir plateia na situação atual do Brasil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A gravação está marcada para a próxima quinta-feira (19), pelo horário da tarde. No entanto, ela pode mudar a depender do que aconteça daqui para frente em relação ao avanço da pandemia do novo Coronavírus. Vale lembrar que Globo, Record TV e SBT estão com seus programas de auditórios suspensos para plateia.

RedeTV! ainda não afastou estrelas que estão no grupo de risco da Covid-19

O jornalista Boris Casoy (Foto: Divulgação/ RedeTV!)

Outra informação apurada pela reportagem é que profissionais que fazem parte do grupo de risco caso peguem o novo Coronavírus, como pessoas com mais de 60 anos e diabéticos, ainda não foram afastados do dia a dia da emissora de Osasco.

O maior exemplo está em estrelas da casa. O jornalista Boris Casoy, do RedeTV! News; e Nelson Rubens, do TV Fama, continuam dando expediente normalmente. É o caso também de câmeras, executivos e alguns profissionais de outras áreas.

Procurada oficialmente pela reportagem para falar sobre as duas questões, a RedeTV! enviou o seguinte comunicado: “A emissora não pode impor afastamento compulsório. Estamos agindo com responsabilidade como as demais empresas, estudando medidas de prevenção para cada momento. Caso os profissionais solicitem afastamento ou apresentem algum sintoma, evidentemente elas serão orientadas a ficar em casa. Caso contrário, estamos lidando com pessoas saudáveis que querem trabalhar”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais