Menina de 10 anos sonha em ser reconhecida pelo pai no último episódio de Segredos de Justiça

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vai ao ar domingo, no Fantástico, o último episódio da série Segredos de Justiça. E ela chega ao fim com uma emocionante história que envolve o destino da menina Jade (Paola Agualuza), de 10 anos, órfã de mãe e criada pelo avô materno, que sonha em conhecer o pai. A história começa há 10 anos, quando Tamara (Ana Julia Dorigon), mãe de Jade, seduz João (Guilherme Hamacek). Aos 16 anos, o jovem não resiste às suas investidas e, sem saber, se torna pai. Contrariando a vontade de seu pai, a mãe da menina o faz prometer que nunca vai procurar pelo pai da criança. Ela morre quando Jade tem apenas quatro anos e seu avô, Arlindo (Tonico Pereira), assume a responsabilidade sobre a neta.

Mesmo com dificuldade financeira para sustentar a criança, o avô, homem simples da roça, assume sozinho a criação da menina durante seis anos. Até que sustentar a menina fica pesado demais e faz ele quebrar a promessa feita à filha antes da sua morte e recorrer à Justiça pedindo que o pai assuma as suas responsabilidades. Com a idade avançada, Seu Arlindo não consegue mais trabalhar como antes na enxada no campo. Chega ao Tribunal quase constrangido e diz à juíza: “A senhora me desculpa estar aqui tomando seu tempo, eu só estou aqui por causa dela”. Ansiosa, Jade usa um vestido rosa de festa, que não condiz com a situação. A menina não vê a hora de conhecer o pai. “Eu era viúvo, tinha quase 70 anos, e logo que perdi minha filha descobri que tinha que ser pai de outra. Fui eu quem criou a Jade. Fiz o que pude pela minha neta. Trabalhava o dia todo, tirava o mínimo para sustentar a pequena. Nunca deixei faltar nada, doutora, nunca. O duro é que de uns tempos pra cá a situação apertou, eu já não tenho idade para trabalhar tanto”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E foi só quando começou a faltar comida, que Seu Arlindo deu entrada no processo de investigação de paternidade. Com o resultado positivo nas mãos, o próximo passo é ficar frente a frente com o pai da menina – que até então, sequer sabia da sua existência. Só que João também é muito jovem. Aos 26 anos, está recém-casado, com a esposa grávida e teme pela transformação que uma filha causará na sua vida. Apesar de aceitar registrar a menina e pagar a pensão, resiste à ideia de conhecê-la. Enquanto o rapaz digere a novidade, a menina ansiosa, pergunta ao avô que horas vai conhecer o pai. Será que a juíza conseguirá convencê-lo do quanto essa relação é importante para a garota? Baseada no livro “A Vida não é justa” da juíza Andréa Pachá, a série tem direção artística de Rafael Dragaud e direção de Pedro Peregrino.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio