Mariana Godoy Entrevista inicia sabatina com os principais candidatos à vice-presidência da república

Publicado há 2 anos
Por Redação
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta sexta-feira (20), às 22h45, o programa ‘Mariana Godoy Entrevista’ inicia uma série de sabatinas com os principais candidatos à vice-presidência da República.

Leia: Jair Bolsonaro é o convidado do Mariana Godoy Entrevista desta sexta-feira

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mariana Godoy e Mauro Tagliaferri receberão um candidato a cada bloco do programa, na seguinte sequência definida por sorteio: Sonia Guajajara (PSOL), Paulo Rabello (PSC), Eduardo Jorge (PV) e Germano Rigotto (MDB).

Leia: No Mariana Godoy Entrevista, Zizi Possi relembra anos de depressão: “Solidão muito grande”

Na próxima sexta-feira (28), as sabatinas continuam com os demais candidatos que têm representatividade no Congresso Nacional.

No Mariana Godoy Entrevista, Priscila Fantin fala sobre momento difícil: “A depressão é uma morte em vida”

Nesta sexta-feira (16) a jornalista Mariana Godoy recebe em seu ‘Mariana Godoy Entrevista’ a atriz Priscila Fantin.

Com mais de 18 anos de carreira, Priscila fala sobre a vivência em alguns de seus trabalhos e comenta sobre o período que passou por uma depressão, em 2008, destacando a importância das atividades físicas na cura da doença.

“O esporte me ajudou muito. Me ajudou a sair da estagnação, porque a depressão é uma morte em vida. Você não sente nada, nem tristeza, nem raiva, alegria, nada. O teatro também é muito curativo, transformador. Me ajudou bastante”, comenta.

Leia também: Quem Não Viu Vai Ver relembra Veja o Gordo

Com seu primeiro papel televisivo aos 16 anos, em Malhação, ela conta que se identificou bastante com Tati, sua personagem, e explica porque atualmente prefere fazer papeis que destoem de quem realmente é.

“Assim como eu, a Tati estava chegando numa nova cidade, conhecendo novas pessoas e foi justamente o que eu estava vivendo naquela época.

Foi uma identificação muito grande. Hoje prefiro fazer o que seja oposto a mim porque acho mais interessante. Gosto do desafio e de vivenciar coisas que eu não vivenciaria em minha vida”, diz.

Envolvida em trabalhos sociais, a atriz dá ainda testemunho sobre a ajuda que presta a ONGs e desabafa:

“Tenho uma preocupação humana muito grande. Acho que falta humanidade para os humanos.

A gente se olha muito pouco no olho e estende muito pouco a mão.

Tem muita gente precisando”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio