Marcelo Tas fala sobre intolerância nas redes sociais no Programa do Porchat

Publicado há 4 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Professor Tibúrcio, repórter Ernesto Valera e Telekid. O que estes personagens têm em comum? O seu intérprete, Marcelo Tas, que, em entrevista para o Programa do Porchat de hoje, dia 22/11, fala sobre carreira, TV aberta e público infantil.

Trabalhando na televisão desde o fim dos anos 1980, Marcelo Tas comenta a dificuldade que é produzir para as crianças. “É o público mais exigente. Entrevistar criança é muito difícil, pois elas só falam a verdade e te deixam em situações complicadas”, afirma ele, que, até hoje, é parado nas ruas para falar as frases do professor Tibúrcio, do programa “Rá-Tim-Bum”. Tas também relembra os primórdios da internet, com a qual teve contato no início da década de 1990, quando estudava em Nova York. Sobre os comentários negativos nas redes sociais, ele afirma não se assustar muito. “Nas redes sociais, a gente cobra uma perfeição. Mas as pessoas sempre foram intolerantes, desde a pré-história.”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tas também faz comentários sobre o atual cenário político brasileiro e mundial. “Não nos vemos representados por nenhum político. Aí aparecem novos, aventureiros. Nunca fiz propaganda política (para nenhum candidato ou político), e isso é algo do qual me orgulho”, afirma Tas, que faz duras críticas a figuras como Donald Trump, eleito presidente dos EUA. “Ele é um horror.”

Outro convidado do Programa do Porchat é o guitarrista Ximbinha. O músico relembra o início da carreira com a banda Calypso. Antes da fama, ele conta que chegou a distribuir CDs para os camelôs e comerciantes de Belém, capital paraense, para divulgar seu trabalho. Ao vir para São Paulo, chegou a andar a pé por todo o centro da cidade e a divulgar seu CD para os comerciantes da 25 de março, a rua de comércio popular mais famosa do Brasil.

Ele também conta que, quando terminou seu casamento com Joelma e saiu da banda, passou por várias situações desagradáveis em shows. “Cheguei a pensar em parar, chorava muito. Tinha vergonha de sair de casa, de ligar a televisão. Fiquei isolado”, diz. Na opinião de Ximbinha, os fãs da cantora não souberam lidar com a situação e ficaram agressivos. “Me deu um susto quando comecei a receber ameaças de morte. Fãs violentos invadiram a casa da minha mãe, tive que fugir para me esconder”, fala. “Eles me culpam por acabar com a banda. Por mim, continuaria existindo, o outro lado que não soube dividir isso”.

Ao lado de sua nova banda, XCalypso, ele apresenta alguns de seus mais recentes hits. No palco, Fábio Porchat faz brincadeira com a semelhança física de Ximbinha com o cantor Ovelha, sucesso nos anos 1980. Os dois fazem um número de rock no talk show.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais