Marcelo Adnet esclarece posição política: “Progressista, mas não comunista”

Global deu entrevista à atração da TV Cultura

Publicado há 2 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O humorista e apresentador Marcelo Adnet foi o entrevistado do Roda Viva na edição desta segunda-feira (17). Ao programa da TV Cultura, ele falou abertamente sobre seu posicionamento político e defendeu as razões que o levam a defender o lado que escolheu para representar.

Me considero de esquerda, sem dúvida. Me considero progressista, mas não comunista. A palavra comunista ganhou um novo significado, mas o comunista que eu conheço, da União Soviética, não. Não sou comunista, nem nunca fui. Mas de esquerda sim“, declarou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É óbvio, você tem que ser de esquerda no Brasil. Como morar no Brasil e não ser de esquerda? Temos diferenças muito abissais. As políticas progressistas no Brasil são a única forma que faz sentido para diminuir as diferenças abissais em vez de largar a mão“, analisou o global.

Adnet também aproveitou o espaço para criticar a piada feita pelo colega Márvio Lúcio, o Carioca, com a figura do presidente Jair Bolsonaro, em março deste ano. Interpretando a paródia Bolsonabo no programa Domingo Espetacular, da Record TV, ele distribuiu banas para jornalistas.

Eu não gosto desse tipo de humor. Quem estava sendo sacaneado? Nós, a imprensa, quem gostaria de ouvir da autoridade máxima uma colocação. Eu não achei graça, não acho isso bacana, porque você está fazendo humor junto do poder. Apontando o humor para baixo“, analisou Marcelo.

Não foi sucesso, uma coisa bacana, embora o Carioca seja muito talentoso e faça imitações autorais impressionantes. Mas foi um episódio que que não achei graça, não faria, seja para um lado ou para outro, com quem quer que seja“, completou o apresentador do extinto Adnight.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais