Luxúria, ira e inveja: Assim como Fabiana de A Dona do Pedaço, relembre oito religiosas de novelas cheias de pecados

Publicado há um ano
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As beatas são mulheres que se dedicam
à oração, puritanas e que demonstram atos de amor e generosidade na sociedade.
No entanto, na teledramaturgia brasileiras essas fortes figuras religiosas não
são retratadas com tanta divindade.

Constantemente, elas aparecem nos enredos escondendo grandes segredos, desejos libidinosos e uma tendência para pecados como a inveja e ira. Atualmente, uma beata osso duro de roer está no ar com a novela A Dona do Pedaço.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Interpretada por Nathalia Dill,
a jovem Fabiana largou os votos do convento, onde iria se tornar freira,
após descobrir que a famosa influenciadora digital Vivi Guedes (Paolla
Oliveira
) é sua irmã.

Com a preciosa informação, ela vai atrás da moça com a intenção de uma aproximação e, ao longo da história de Walcyr Carrasco, se mostrará uma pessoa ambiciosa, invejosa e ardilosa. Inclusive, a própria Nathalia já concluiu que a personagem é vilã.

A partir da análise da personalidade dúbia de Fabiana, o Observatório da Televisão preparou uma lista destacando oito beatas noveleiras que de santa não tinham nada.

Carminha – Avenida Brasil (2012)

Carminha da novela Avenida Brasil (Fotos: Divulgação)

Vivida por Adriana Esteves, essa beata fazia coisas que o próprio diabo duvidava. Na frente de todos, Carminha era uma mulher fiel, de família, devota e que custeava obras sociais para a comunidade. Contudo, na realidade, ela era uma mulher dissimulada que traia o marido Tufão (Murilo Benício) dentro do próprio lar. Além disso, ela foi a responsável pela morte do primeiro esposo e abandonou a enteada Rita (Débora Falabella) em um lixão.  Ao crescer, a menininha voltou com a identidade de Nina para se vingar. O bicho pegou feio na trama. Quem não se lembra da inesquecível cena do “Me serve, vadia!”?

Eva – Cobras & Lagartos (2006)

Eva da novela Cobras & Lagartos (Fotos: Divulgação e internet)

Essa santa mulher (só que não!) vivia para a moralidade e práticas religiosas. Tendo o ladrão de joias Serafim (Otávio Augusto) como ex-marido, Eva (Eliane Giardi) lutava para que os filhos Kika (Christiana Kalache), Madá (Nanda Costa), Jonas (Gustavo Falcão) e Lurdinha (Bruna Marquezine) não desenvolvem o mau-caratismo paterno e não se rendessem aos pecados mundanos. No entanto, no decorrer da trama, ela surgiu como a fogosa e extravagante cigana Esmeralda.  

Creuza – América (2005)

Creuza da novela América (Fotos: Divulgação)

Se em A Dona do Pedaço Juliana Paes é a guerreira Maria da Paz, em América ela era a pura e rígida Creuza. Não tinha tempo feio para a personagem pregar suas lições de moral e manifestar sua devoção por Deus nos cultos. Tudo balela! Quando ficava a sós com homens, dona Creuza revelava o fogo vulcânico que carregava por debaixo das longas vestimentas. O peão Tião (Murilo Benício) era sempre seu alvo. Chama o bombeiro, irmã!

Dona Imaculada – A Padroeira (2001-2002)

Dona Imaculada da novela A Padroeira (Fotos: Divulgação)

Personagem de Elizabeth Savala, Imaculada era mãe de Izabel (Mariana Ximenes) e exigia que a filha fosse para o convento – a menina vivia ajoelhando no milho para rezar. Andava julgando as pessoas e justificando suas atitudes com teorias religiosas. Porém, essa senhora escondia um pesado impuro. Ela engravidou sem ter um matrimônio e escondeu o erro inventando que era viúva. Imaculada também tinha um crush: o poeta Manoel (Otávio Augusto).

Dorotéia – Gabriela (2012, remake)

Dorotéia da novela Gabriela (Fotos: Divulgação)

Pilar da moral e dos bons costumes de Ilhéus (BA), essa senhora era mãe do coronel Amâncio (Genézio de Barros) e julgava sem piedade os moradores da região. Seu principal alvo de repressão era as meninas do bordel da cidade. Por atrás de tanta rigidez, Doroteia (Laura Cardoso) escondia um segredo de luxúria: no passado, ela era uma das mais famosas quengas de Ilhéus e atendia pelo nome de Dodô Tanajura – por causa da bunda avantajada.

Violante – Xica da Silva (1996-1997)

Violante da novela Xica da Silva (Fotos: Reprodução/ Internet)

Essa personagem de Drica Moraes foi aluna do capiroto real, oficial e com diploma. A mulher era uma beata cheia de ódio dentro de si. Cruel com seus escravos, os castigavam constantemente. Sua grande inimiga foi a protagonista Xica (Taís Araújo), que provocou encantos no contratador João Fernandes (Victor Wagner), de quem era prometida. A “beata das trevas” acabou a trama super louca, varrida, pirada.  

Perpétua – Tieta (1989-1990)

Perpetua da novela Tieta (Fotos: Divulgação)

Vivida por Joana Fomm,
essa beata também era um cão chupando manga. Religiosa fervorosa, lutava pelos bons
costumes e infernizava a vida dos moradores de Santana do Agreste. Conservadora
e traiçoeira, Perpétua escondia um segredo trevoso e macabro: ela guardava o órgão
genital de seu falecido marido dentro de uma caixa no armário. Joga água benta
nisso! Tá repreendido!

Altiva – A Indomada (1997)

Altiva da novela A Indomada (Fotos: Divulgação)

Ó xente mai Gódi!”. De
longe, a personagem de Eva Wilma só foi boa criando seu icônico bordão.
Mais uma propagadora das lições religiosas, Altiva era cheia de pecados: avareza,
soberba, invejosa, falsa, interesseira, mesquinha e má. Suas perversidades foram
tantas que o próprio Deus enviou um raio diretamente para ela no final da
novela. Também… ela foi desafiar o Todo Poderoso. Bem feito!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais