Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Circos

Longe das novelas, Marcos Frota volta ao ar neste domingo em programa da TV Brasil

Ator é recordado pelo Tonho de Lua, de Mulheres de Areia

Publicado em 19/11/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O circo é a arte do gesto“. Assim define o ator Marcos Frota define a magia que atrai o público há gerações. Longe das novelas desde 2010, quando atuou no remake de Ti-Ti-Ti, o eterno Tonho da Lua de Mulheres de Areia (1993) participa do segundo episódio da série documental que a TV Brasil apresenta neste domingo (21), às 19h.

Esta edição do programa original Circos investiga o equilibrismo, arte da superação dos limites do corpo e da mente. A produção revelar como o impossível se torna realidade no picadeiro.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Malabaristas, acrobatas, equilibristas e entusiastas reverenciam a paixão pela arte do circo, sua evolução como artistas, a rigidez dos treinamentos, os riscos da profissão, a fragilidade humana, a importância da concentração e a ideia do circense como um super-herói. Esse talento faz a diferença no sorriso da plateia.

Marcos Frota que destaca como a cultura circense encanta e contagia em uma combinação que envolve bastante esforço e emoção. “A expressão do corpo acontece no circo. Ela é a ponte entre o esporte e a arte só que sem a competição“, explica.

O ator compartilha seu amor pelo circo e aborda o sucesso de seu personagem circense, o trapezista Rick na novela Cambalacho, de 1986. Ele analisa a importância da dança no universo circense e comenta o trabalho com o Circo dos Sonhos: um espetáculo que mistura tradição e modernidade.

Com alegria, Marcos Frota fala sobre como o circo o cativa e ressalta sua relação com o trapézio. “Eu nunca quis ser trapezista de uma técnica refinada. Teria que focar muito. O que me interessava era o circo como um todo. O trapézio foi a maneira que eu encontrei de brincar no circo“.

Profissionais experientes, os demais artistas convidados também compartilham histórias pessoais de luta e superação. Marcos Casuo foi descoberto em um posto de gasolina fazendo acrobacias e chegou ao maior circo do mundo: o Cirque du Soleil. Já o equilibrista Bruno Edson foi para o circo ainda criança e se tornou um dos maiores do mundo.

A produção ainda entrevista Douglas Marinho que saiu de uma empresa de ônibus e hoje tem seu próprio circo com foco em apresentações para comunidades carentes. Também mostra o trabalho do Circo Zanni da incrível aramista Maira Campos. Ela comenta a relação com o público e faz uma bela analogia entre seu ofício e a vida.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....