Leo Paixão fala da repercussão de Mestre do Sabor: “Um carinho enorme do público!”

O chef revela curiosidades da nova temporada da atração

Publicado há 9 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nascido em uma família de médicos e cientistas, Leo Paixão até tentou seguir a tradição, formando-se, inicialmente, em Medicina. Mas o amor pela culinária sempre o acompanhou. Assim que conseguiu, reuniu recursos para investir em sua paixão e foi para Paris estudar gastronomia, onde fez estágios em restaurantes avaliados com três estrelas Michelin – a mais alta premiação da gastronomia mundial.

Quando voltou ao Brasil, abriu seu primeiro restaurante, em Belo Horizonte, e apostou na culinária francesa, ganhando vários prêmios. Com o tempo, foi alertado de que seu cardápio estava se transformando, já que começaram a fazer parte do menu pratos como frango com quiabo e rabada. “Era comida mineira contemporânea e eu não tinha percebido”, conta Leo. Foi então que o chef resolveu assumir suas raízes e mesclar os truques da alta gastronomia francesa com a tradição da cozinha mineira. “Hoje eu pratico uma gastronomia mais afetiva, faço releituras das receitas da minha família. Ainda tenho o caderno de receitas da minha avó e bisavó, mas meu referencial na cozinha é o meu avô, que me ensinou a cozinhar quando ainda era menino”, revela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sempre preocupado em oferecer a melhor experiência possível ao paladar, o chef deixa aflorar seu lado cientista na hora de criar as receitas e pratos elaborados e ricos em sabor – uma de suas marcas no reality culinário. Confira, a seguir, suas expectativas para a estreia de Mestre do Sabor, reality show culinário da Globo que estreia sua segunda temporada na próxima quinta-feira (30).

Como foi a experiência de participar do Mestre do Sabor ano passado? Mudou algo na sua rotina de lá pra cá?

Foi muito legal participar do Mestre do Sabor. Teve uma repercussão incrível. Algo que eu nunca imaginava, um carinho enorme do público. Muita gente veio para os restaurantes em Belo Horizonte, aumentou muito nossa procura.

Você já é muito conhecido entre os mineiros, mas ficou mais conhecido nacionalmente. Você sentiu isso nos restaurantes?

Senti, sim! Muita gente vem de fora, recebemos um carinho incrível. Hoje em dia, tem gente que vem para Belo Horizonte só para conhecer meu restaurante. Eu fiquei muito feliz mesmo de poder mostrar um pouco mais da minha culinária para as pessoas. E também por essa valorização da gastronomia brasileira que acontece no programa. É algo genial, incrível.

Qual a expectativa para o programa deste ano?

Eu tenho grandes expectativas para essa temporada. Sinto que estamos mais soltos. Tiveram algumas mudanças e a competição está muito interessante! O programa está bem mais consolidado e a tendência é ficar cada vez melhor.

Com tantas provas, ainda se surpreende?

Sempre a gente se surpreende, principalmente pela criatividade e qualidade do que os competidores fazem. Eles realmente são incríveis. O nosso Brasil tem gente muito criativa.

O que faz, por exemplo, você apertar o botão?

É o sabor. A comida saborosa, bem feita, gostosa, na qual a pessoa conseguiu desenvolver um gosto especial. É claro que a pessoa que mostra domínio da técnica também tem minha atenção, mas o que me faz realmente apertar o botão é o sabor.

Qual é seu prato favorito de fazer? E de comer?

Frango com quiabo, é o que eu mais gosto. Sou alucinado.

Como foi para você receber a notícia sobre a saída do Avillez?

A saída do Avillez foi inevitável diante do que estava acontecendo na Europa (devido à pandemia por coronavirus) e muito triste. Ele é um grande amigo, um mestre, uma pessoa com quem eu aprendi muito, por quem eu tenho um carinho enorme. E espero que ele esteja de volta nas próximas gravações porque ele faz muita falta.

E como foi receber a notícia sobre a chegada do Rafa Costa e Silva?

A chegada do Rafa Costa e Silva foi um alento para a tristeza que sentimos com a saída do Avillez. O Rafa é um grande chef que eu admiro. Então, a presença dele foi um fator muito importante pra gente continuar as gravações e manter a qualidade do que estávamos fazendo antes. O Rafa é incrível, sou um grande fã.

Como está sendo gravar sem plateia nos últimos dias?

É triste gravar sem plateia. Mas está dando tudo certo, está ficando bom. Espero que na próxima temporada a gente já os tenha conosco pra interagir bastante porque realmente eles são uns queridos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio