Juliana Paes fala sobre Laços de Família: “processo de enorme aprendizado”

A atriz fala de Ritinha, sua personagem na trama de Manoel Carlos

Publicado há 16 dias
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quem poderia imaginar que aquela jovem de olhos expressivos, que inicialmente aparecia em pequenas cenas em Laços de Família, fosse se tornar uma das principais estrelas das novelas brasileiras? Pois foi Ritinha, a doméstica da trama de Manoel Carlos, que catapultou a carreira de Juliana Paes.

Inicialmente, Ritinha aparecia apenas atendendo aos patrões. E, de vez em quando, era alvo dos galanteios de Danilo (Alexandre Borges), o marido da patroa Alma (Marieta Severo). Mas os galanteios evoluíram, e Ritinha acabou engravidando do bon-vivant, o que fez a personagem de Juliana crescer.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mal terminou o trabalho em sua primeira novela, Juliana Paes já retornava ao ar em O Clone (2001), como a danada Karla. Depois, vieram outras coadjuvantes de sucesso, até que Juliana começava a emplacar suas primeiras protagonistas, como em Pé na Jaca (2006) e Caminho das Índias (2009). Recentemente, foi a “personagem-título” de A Dona do Pedaço (2019).

Agora, Juliana (e todo o Brasil) tem a chance de rever onde tudo começou no Vale a Pena Ver de Novo, que exibe Laços de Família novamente. Na entrevista abaixo, a atriz fala da novela e de sua trajetória:

Quais sensações rever Laços de Família no Vale a Pena Ver de Novo despertam em você?

É uma grande mistura de sentimentos. Ao mesmo tempo em que fico feliz da vida porque estou relembrando como tudo começou, sinto uma certa insegurança porque foi o meu primeiro trabalho, e como eu estava crua (risos). Eu sou uma cria da TV Globo e os grandes atores da casa foram meus mestres. Acho que talvez por isso eu tenha aprendido bem, modéstia à parte (risos).

A Força do Querer vem aí novamente e você também está no ar em Totalmente Demais. Como é a sensação de reviver esses trabalhos tão diferentes?

É muito gostoso porque quando você está fazendo o trabalho sempre tem aquela tensão da recepção do público, da crítica, mas depois que tudo foi feito, bem aceito e um sucesso, a sensação é de muito orgulho e de plena satisfação.

Como foi o trabalho em Laços de Família?

Foi um processo de enorme aprendizado. Eu me lembro de passar muito tempo esperando, porque não estava em muitas cenas, mas eu não ia para o camarim. Eu ia para o set aprender. Ficava vendo como os atores faziam, como eles ensaiavam e decoravam o texto. Aprendi muito com a Marieta Severo, nos ensaios ela fazia já quase para valer, e eu tentava absorver ao máximo assistindo. Percebi também o valor dos preparadores de elenco. Mesmo o ator sendo mais experiente é importante ter esses profissionais sempre por perto.

Quais as principais lembranças que guarda do período de gravações?

Eu guardo lembranças maravilhosas. Para mim tudo era novidade, o crachá era novidade, pendurar o crachá da TV Globo no meu pescoço era uma sensação maravilhosa. Quando eu entrava no estúdio era como se eu estivesse na Disney, sabe?

Qual a cena foi mais marcante para você?

A cena mais icônica da Ritinha com certeza é a cena da piscina, quando o Danilo (Alexandre Borges) tenta esconder a Rita da Alma (Marieta Severo) dentro da piscina.

Como foi recebida e como era a relação com o elenco com quem você mais contracenava?

Essa parte foi maravilhosa, eu nunca pensei que iria ser tão bem recebida. E isso foi uma das coisas que me tiraram o sono antes de começar o trabalho. Eu achava que iria ficar deslocada, mas foi o contrário. Todos me tratavam com muito respeito e carinho, perguntavam coisas, eram interessados na minha história, queriam saber como que eu tinha chegado ali. Me senti muito querida e abraçada.

Como foi o retorno do público na época da novela? Passados 20 anos da exibição original, as pessoas ainda comentam sobre esse trabalho com você?

Comentam muito até hoje. Na época, as pessoas falavam que eu iria longe na profissão. A Marília Gabriela, que era casada com o Gianecchini, falou para mim na festa de Laços de Família que eu trabalharia muito dali em diante. Foi muito importante ter esse voto de confiança das pessoas.

Como está lidando com a rotina atual? Incluiu alguma nova atividade ou aprendizado?

Fiz muito bolo, né? Depois de Maria da Paz, coloquei em prática todo o meu aprendizado (risos). E comecei a fazer ioga, que era uma coisa que eu queria muito, mas achava que não teria flexibilidade para fazer. Estou indo bem, me desenvolvendo a cada dia, e muito feliz com mais essa experiência.

Exibida no Vale a Pena Ver de Novo, Laços de Família é escrita por Manoel Carlos, com direção geral e de núcleo de Ricardo Waddington.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais