Juliana Caldas fala da importância da discussão sobre nanismo em O Outro Lado do Paraíso

Publicado há 3 anos
Por Nucia Ferreira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma das questões que será levantada em O Outro Lado do Paraíso é o nanismo. Quem poderá dar voz à classe é Juliana Caldas, que vai interpretar Estela, filha caçula de Sophia (Marieta Severo). Por incentivo da mãe, que não se conforma em ter uma filha anã, ela fica anos morando no exterior e só retorna no casamento do irmão, Gael (Sérgio Guizé). Para a atriz, está sendo a grande chance de falar sobre a questão.

Leia também: Tempo de Amar “surfa” na boa fase das novelas da Globo

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“É muito importante para mim (esse papel) e é muito importante também para milhões de pessoas que têm o nanismo. Por causa do respeito, por causa da sensibilidade. É uma gratidão eterna que eu vou ter por esse trabalho. Só que ao mesmo tempo não depende só de mim. Depende daqueles pequenos de se impor e levantar a bandeira do respeito. Abrindo pra todos, não só o nanismo, mas qualquer tipo de deficiência”, analisa.

Ao longo da vida, Juliana conta que além do preconceito, já passou por situações constrangedoras. “Eu fui assistir a um show e não queriam me atender como deficiente, eu liguei para um advogado amigo meu para que ele explicasse que eu tinha direito a acesso naquele setor”, disse. Solteira, a atriz afirma que não tem problema para paquerar, mas já se deparou com perguntas curiosas. “Uma vez me perguntaram ‘como que anão transa?’ e eu falei, ‘quando eu for transar eu te chamo’. Aí a pessoa parou”. lembrou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio