Jornalista renomado é processado por assédio sexual; confira

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O conhecido âncora da rede CBS, dos Estados Unidos, Charlie Rose, foi, nesta sexta-feira (4), processado, no Tribunal do Estado de Nova York, por três mulheres que dizem que ele as assediou sexualmente, tocando-as de maneira inapropriada, além de fazer comentários considerados ofensivos.

Rose havia sido demitido em 2017 depois que o jornal Washington Post publicou uma reportagem sobre ele ter assediado oito mulheres. Na CBS, o jornalista era âncora do This Morning, uma espécie de Bom Dia Brasil, com entrevistas e análises. Rose também foi repórter do prestigiado 60 Minutes, que se assemelha ao Globo Repórter.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Casal briga feio e participante se descontrola no Power Couple, da Record

O âncora, de 76 anos de idade, teria tido comportamentos inadequados, inclusive, com mulheres funcionárias da CBS News, o departamento de jornalismo da CBS. A novidade, agora, além de um novo processo, é que, em 30 anos, segundo o Washington Post, o canal foi avisado sobre a conduta de Rose sobre as mulheres.

A CBS afirmou, em nota, que não há reclamações no departamento de recursos humanos sobre as perseguições sexuais do jornalista e emitiu uma nota: “Desde que nós demitimos Charlie Rose, nós trabalhamos no reforço dos sistemas existentes para assegurar um ambiente seguro onde todo mundo pode fazer o seu melhor. Algumas das ações que nós tomamos são divulgadas, outras, não. Nós oferecemos discrição aos empregados e justiça, e nós tomamos uma ação rápida quando sabemos de um comportamento inaceitável”, diz o comunicado.

Rose afirmou, também por nota, que “a reportagem é injusta e imprecisa”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio