Jornalista da Record acusa chefe de assédio sexual e é demitida

Publicado há 4 anos
Por Philippe Azevedo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A ex-jornalista da afiliada da Record no Rio Grande do Sul, Elisângela Veiga, acusou o chefe da emissora de assédio sexual. Veiga conta que funcionários chegaram a fazer um dia de greve por causa do suposto assédio.

“Decidimos fazer um dia de greve para chamar a atenção da chefia. O resultado foi a demissão de apenas um dos chefes, o que me assediava sexualmente, a permanência da outra, que faz assédio moral, e a demissão de oito funcionários, incluindo eu”, escreveu.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em resposta ao jornal Agora São Paulo, a Record informou que a demissão da jornalista e de outros profissionais fez parte de uma reestruturação.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio