Jornalista da Globo bomba ao rebater deputado do PSL: “Corpo da mulher não é domínio público”

Publicado há 9 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Responsável por apresentar o JA 1ª Edição, informativo da NSC TV, afiliada da Rede Globo em Santa Catarina, Laine Valgas virou assunto nas redes sociais após rebater uma declaração do deputado estadual Jessé Lopes (PSL-SC).

O político disse ser contra o movimento Não é não! e afirmou que assédio é um “direito” da mulher, com a justificativa que “massageia o ego”. A jornalista declarou que assédio não é um direito, e sim uma triste realidade das mulheres.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Não massageia o ego ou satisfaz a vaidade da mulher. É crime, definido por lei. E caso ainda não esteja claro, vamos dizer mais uma vez: inclui a realização de ato libidinoso, de forma não consensual, e também enquadra ações como beijo forçado, passar a mão no corpo alheio sem permissão. Não, nem toda mulher quer ser cantada na rua porque o corpo da mulher não é um domínio público”, destacou a profissional.

Em outro trecho, a apresentadora destaca que uma pesquisa apontou que 97% das mulheres já foram assediadas de alguma forma no transporte público. “As mulheres relataram que já foram encoxadas, tocadas e receberam cantadas indesejadas. Indesejadas, eu disse, deputado. Significa que elas não desejaram, queriam ou gostaram”, apontou Laine.

Assista:

https://twitter.com/INogaredo/status/1217192474436915208
https://twitter.com/jumargullies/status/1217117843109662720
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais