Jornal Nacional estreia série olímpica produzida pelo ex-global Tino Marcos

O último trabalho do jornalista na emissora começa a ser transmitido nesta segunda-feira (5)

Publicado em 5/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O jornalista Tino Marcos deixou a Globo após 35 anos em fevereiro de 2021, mas ainda há trabalhos seus a serem veiculados pela emissora. O último começa a ir ao ar a partir desta segunda-feira (5) no Jornal Nacional. Trata-se de uma série de oito reportagens sobre a ligação do Brasil com modalidades esportivas das Olimpíadas de Tóquio.

Produzidas junto a Kiko Menezes, as matérias vão apresentar atletas olímpicos brasileiros, assim como as suas localidades de origem e de treino. Um dos esportes que terão ênfase é o surfe, que ingressou na competição histórica recentemente e terá a sua estreia na edição do Japão. Para ilustrar a novidade, Tino entrevista o surfista Ítalo Ferreira, campeão mundial.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O comunicador, referência no jornalismo esportivo, conta que o compilado de reportagens vai garantir ao público mais conhecimento sobre as modalidades olímpicas. “Esta série tem um formato diferente e foi uma experiência enriquecedora. Os grandes ídolos do esporte olímpico não foram os únicos protagonistas na nossa abordagem. A série mostra “Brasis” surpreendentes, que aprendem a aproveitar os benefícios de uma modalidade olímpica. O esporte vira trabalho, diversão, cultura, comportamento. Foi um projeto muito especial. Fico muito contente por ver no ar algo tão realizador como meu último trabalho na TV Globo. Vai ser um momento para curtir e aproveitar”, exalta Tino Marcos.

O skate também surge como esporte inédito nas Olimpíadas, então será outro destaque das matérias exibidas no JN. O entrevistado, nesse caso, será o skatista Pedro Barros, que já conquistou seis vezes o campeonato mundial. Já para mostrar a realidade dos treinos de canoagem, Tino Marcos e Kiko Menezes visitarão ninguém menos que o célebre atleta Isaquias Queiroz, medalhista olímpico na modalidade, no Amazonas.

Tino relembra reportagens

“De todos os lugares por onde passamos, dois me chamaram a atenção. Um deles é Camocim, cidade no litoral do Ceará, pela quantidade de pessoas envolvidas com o transporte à vela. Foi impressionante ver como a comunidade de pescadores se envolve com esse tipo de embarcação e se afinou com as campeãs olímpicas, que puderam conhecer esta realidade. Outro foi Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, cidade do surfista e campeão Ítalo Ferreira, pela imensa integração da população com o esporte. Foi lindo ver surfistas de todas as idades dividindo as ondas com um campeão mundial”, detalha o repórter.

Fora da Globo, ainda não é possível saber se Tino Marcos cobrirá as Olimpíadas de 2021 de alguma forma. Kiko Menezes, por outro lado, irá compor o quadro de cerca de 50 profissionais que viajarão para Tóquio para produzir matérias tanto para a TV aberta quanto para os canais SporTV, da TV por assinatura.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio