Jonathan Azevedo, o Sabiá de A Força do Querer, exalta Gloria Perez: “É uma gênia!”

O ator comemora a entrada de seu personagem na edição especial da novela

Publicado há 15 dias
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em A Força do Querer, Bibi (Juliana Paes) está desesperada com a prisão de Rubinho (Emilio Dantas) e acredita na inocência dele, mesmo depois de ser intimidada por traficantes na porta de sua casa. Ao visitar o marido no presídio, Bibi descobre que ele está jurado de morte.

Como Eugênio (Dan Stulbach) se retira do caso, Bibi vai ao encontro de Caio (Rodrigo Lombardi) e implora que o ex-noivo defenda Rubinho. Apesar da discussão que os dois travam ao revirarem as mágoas do passado, o advogado aceita defender o pai de Dedé (João Bravo).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo assim, Bibi quer uma garantia de que o marido não corre mais risco de morte na cadeia. Ela, então, decide subir o morro para pedir a proteção do chefe do tráfico, apesar dos apelos de Aurora (Elizangela) para que a filha não tome tal atitude.

Bibi é recebida por Sabiá (Jonathan Azevedo) e pede para ele ajudar seu marido. Sabiá admira a atitude de Bibi como esposa, e, no segundo encontro com ela, garante que Rubinho não será ferido dentro do presídio.

Na entrevista abaixo, Jonathan Azevedo fala sobre sua participação em A Força do Querer:

Pode contar alguma curiosidade das gravações que você lembre com carinho?

Eu lembro com muito carinho da primeira vez que eu subi a comunidade onde gravamos. Todos me receberam muito bem lá, assim como a equipe da novela. Eu subi várias vezes e vi minha vida mudando ali naquela ladeira. Antes subia em um determinado tempo, até que um dia levei mais de uma hora para chegar até a locação. Muitas pessoas me paravam para falar comigo, tirar fotos e agradecer pelo personagem. Foi um momento muito marcante para mim. Em toda a minha trajetória de vida, sempre busquei espaço na minha arte para falar do lugar de onde eu vim, para buscar recursos para esse lugar, dar estrutura para minha família. E foi ali que tudo aconteceu. Também lembro com muito carinho quando abracei a Juliana Paes e soube que o personagem não ia morrer logo, que eu assinaria um contrato. E a Juliana falou para mim que era a minha hora, que havia chegado o momento de falar tudo que eu sentia no fundo do meu coração. Eu não esqueço esse dia, foi quando tudo mudou. Aproveito para agradecer o Brasil pela recepção maravilhosa.

Está acompanhando a edição especial da novela? É muito autocrítico?

Eu sou muito autocrítico, sim. E estou muito ansioso para acompanhar a chegada do Sabiá na trama. Na época que a novela foi exibida originalmente, eu não tive a oportunidade de assistir porque gravávamos muito. E nas gravações eu não gostava de assistir porque me criticava demais, não conseguia nem dormir. Então, quando estou gravando, prefiro me dedicar, jogar para o universo e esperar que tudo dê certo. E deu certo! Agora eu estou acompanhando a novela e vendo como a trama se desenvolve. E a Gloria Perez é surpreendente, é uma gênia. Ela é uma luz, não só na minha vida, como na vida do brasileiro. Ela consegue fazer pulsar tantas questões que nós precisávamos conversar.

A novela foi muito bem-sucedida quando exibida originalmente. A que você atribui esse sucesso?

Vou atribuir ao elenco e à toda a equipe. O sucesso de uma novela, como eu pude ver, é quando autora, equipe, produção, elenco conseguem trazer uma comunhão, quando somos um só. Acho que foi a união de todos. A genialidade da Gloria, a sensibilidade das atrizes, dos atores, dos diretores. E também pelas questões que a Gloria levantou com a trama, que precisávamos conversar há muito tempo. E ela sabe fazer isso como ninguém.

Qual foi a importância de A Força do Querer na sua trajetória artística?

A novela foi um divisor de águas na minha vida. Foi tudo na minha carreira, eu pude me apresentar como ator para o Brasil inteiro.

Que cena você considera mais importante de seu personagem e tem vontade de rever? Por que?

Uma cena marcante foi meu primeiro encontro com a Juliana Paes. Aquela mulher incrível e generosa, com um coração gigante já me dizia muito sobre o que ia acontecer na minha vida. Uma das cenas que eu quero mais rever é esse primeiro encontro do Sabiá com a Bibi. Agora vou olhar de fora e pensar: “caraca, olha como as coisas são”.

Sempre te chamam de Sabiá?

Depois que a novela acabou fiquei muito tempo sendo chamado de Sabiá. Até começar o PopStar e depois a Dança do Famosos. No programa e no quadro eu mostrava muito da parte pessoal, então o público passou a me abordar de outra forma. Mas esse reconhecimento tão intenso mostra a força que um personagem tem. Eu posso estar em qualquer lugar do Brasil que falam comigo sobre o Sabiá. Eu fico muito feliz em receber esse carinho, que acho que é fruto de todo o amor que levo na minha arte. Sou muito feliz com isso.

Você tem uma relação muito intensa com a música, como está esse seu lado agora?

Eu não consigo largar essa minha relação com a música. Já montei uma outra banda e eu tenho um estúdio em casa. Amo o rap, meus amigos são todos do rap. Sempre que eu tenho um tempinho eu escrevo músicas, gravo e deixo essa carta na manga.

A Força do Querer é uma novela de Gloria Perez, com direção artística de Rogério Gomes, direção geral de Pedro Vasconcelos e direção de Davi Lacerda, Luciana Oliveira, Claudio Boeckel, Roberta Richard e Fábio Strazzer.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio