“Minha família me criou já descontruída, com a mente sem colonização”, afirma Jojo Todynho

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Luciana Gimenez foi ao bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, conhecer a casa da funkeira Jojo Todynho. Durante o encontro, a cantora falou sobre a importância do amor próprio e destacou sua elevada autoestima, fruto do incentivo que sempre recebeu da família. “Todo mundo na minha casa, a não ser os jovens, é gordinho. Então minha família me criou já desconstruída, com a mente sem colonização. As pessoas falavam para minha tia: ‘tem que botar a Jordana no ballet para já dar uma formada no corpo. Botar na natação para esticar’, e minha tia dizia: ’xiu, tem que ser no tempo dela. Ela não tem que fazer o que todo mundo acha que ela tem que fazer”, relembra.

Também sobre o assunto, Jojo defende que as mulheres precisam se aceitar mais e respeitar o próprio biotipo. “Vejo nas pessoas frustração por não poder ser o que é, e eu sou o que eu sou. Elas têm que se amar e se respeitar sempre, sem fazer comparação com outra mulher porque você está se auto rejeitando. Eu gostaria de ter o corpo da Beyoncé? Não, porque ela é ela, você é você e fulano é fulano”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Gravando novela em Portugal, Carolina Kasting fala sobre saída da Globo: “Sou muita coisa para me resumir numa questão como esta”

Atualmente namorando, a cantora revelou o estilo de homem que a atrai e explicou, ainda, a razão. “Eu gosto de negão, sempre gostei e é porque eles transparecem uma segurança, sabe? Aquela coisa. Sou muito para frente e eles têm voz ativa. Sempre gostei também de homens mais velhos. Acho que um novinho não é para mim”.

Luciana entra na intimidade de Jojo Todynho

Luciana é convidada por Jojo para conhecer sua casa e aproveita para conferir algumas particularidades da cantora, como suas perucas e uma caixinha de recordações com fotos da família. Criada pela avó paterna, ela demonstra carinho e gratidão à dona Rita Maria. “Falar da minha avó é se emocionar o tempo todo, porque ela é uma pessoa que nunca hesitou em nos dar nada. Se é um chinelo rosa para um, é um chinelo rosa para todos. Nunca fez distinção de neto”.

Ainda na atração, a artista revela logo depois, sua paixão por colorir desenhos e mostra para Gimenez uma de suas pinturas, intitulada ‘Preta de Neve’, na qual ela transforma a princesa e o príncipe do clássico da Disney em personagens negros.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio