João Emanuel Carneiro fala sobre a nova vilã de Adriana Esteves: “É uma diaba”

Publicado há 3 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Conhecido por ter escrito grandes sucessos da teledramaturgia, como Da Cor do Pecado (2004), A Favorita (2008) e Avenida Brasil (2012), João Emanuel Carneiro voltará ao ar com Segundo Sol, trama das 21h que substituirá O Outro Lado do Paraíso em maio.

Da Cor do Pecado, primeira novela de João Emanuel Carneiro, estreava há 14 anos

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Questionado sobre a nova produção, o novelista afirmou que será uma história mais emotiva. “O drama familiar será maior do que em qualquer outra novela minha. Parti de dois vértices. O da Luzia (Giovanna Antonelli), que perde os filhos e lutará para recuperar a família despedaçada. O outro lado será a história de alguém que fica famoso com a morte. Beto (Emílio Dantas) se faz de morto e a família lucra com isso. Anos depois, ele estará acomodado nessa mentira, casado com Karola (Deborah Secco). Mas vai entrar em crise de consciência quando reencontrar a Luzia”, contou o escritor ao jornal O Globo.

Com relação à Laureta, nova vilã que será interpretada por Adriana Esteves, o autor definiu o papel como um ser livre. “É promoter mas trabalha como cafetina de luxo. É uma diaba. Adriana poderá exercer um lado dela despudorado. Essa personagem tem uma conduta libertina que choca as pessoas. Fala para os meninos e as meninas que agencia que eles não podem ser tão caretas. E tem essa relação com a Karola, que já trabalhou para ela”, revelou o famoso.

Segundo Sol ganha data de estreia e de exibição do último capítulo

O autor declarou ainda que considera um ato milagroso escrever novela. “É um trabalho tão longo, tão desumano. Quando falam mal dos autores de novela eu defendo todos. Manter a audiência é uma guerra. O perigo de escrever uma telenovela é você não viver. Você dá mais de um ano da sua vida e pode se acostumar a não ter vida social. Quando faço novela, trabalho 14 horas, sete dias por semana. Você fica lendo só o próprio texto. A tendência é emburrecer”, concluiu Carneiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio