Iniciando na música, Bárbara Fialho garante não abandonar as passarelas no The Noite: “Amo trabalhar como modelo”

Publicado há um ano
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A
modelo internacional Bárbara Fialho é uma das convidadas do programa The Noite com Danilo Gentili desta
sexta-feira (10), no SBT. Investindo na carreira de cantora, ela fala
sobre a realização desse sonho e garante que não abandonará as passarelas.

Na entrevista com Gentili, Bárbara revela que o desejo de ser uma estrela da música, muitas vezes, lhe deu força para atuar como modelo. “Sempre foi meu sonho. Muitas vezes a música me ajudou a manter a carreira de modelo. Pensava ‘vou continuar porque isso vai acabar me ajudando na música’“, afirma.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sobre deixar as passarelas, ela afirma:
De jeito nenhum. Amo moda, amo trabalhar como modelo. Mas a carreira não é
tão longa, então me sinto na obrigação de trazer algo a mais
”.

A moça também conta a respeito de seu casamento com Rohan Marley. “As coisas aconteceram muito rápido. Mas meu marido já era meu amigo há 4 anos. Me pediu em casamento em duas semanas. Sempre quis casar e ele estava pronto para isso”, revela.

Sobre a família do esposo,
comenta: “eles têm uma união que eu nunca tinha visto. São muito calorosos,
muito carinhosos e me abraçaram desde o começo. Eles realmente simbolizam essa
questão do “one love”
Não vi em nenhum momento uma
tensão, eles dividem tudo igua
l”.

Bárbara Fialho ganha touca de trancinhas (Foto: Gabriel Cardoso/ SBT)

Ao longo do bate-papo, Bárbara Fialho ganha de Gentili uma touca de trancinhas para o bebê que está esperando e diz que pretende fazer o desfile da grife Victoria’s Secret: “vou tentar estar lá pelo oitavo ano”.

Ainda no programa 

Na mesma noite, Danilo Gentili
recebe Paulo Baron. Responsável
pela produção dos principais shows das maiores bandas de rock no Brasil, ele
está lançando o livro Rocking All My
Dreams
e recorda o início da carreira. “Fui o primeiro que levou
o Angra ao México. E fiquei muito amigo do Andre Matos, depois virei empresário
do Shaman… desde aquela época tinha afinidade com o Brasil
”, detalha.

A respeito de sua afinidade com o rock, conta: “sou formado em direção de cinema. Nos anos 80 a única maneira de entrar na música sem ser ninguém, era por meio dos videoclipes. Foi meu jeito de ir engendrando no rock”.

Paulo Baron no palco do The Noite com Danilo Gentili (Foto: Gabriel Cardoso/ SBT)

Ele diz não ter seguido carreira
como músico e revela em tom de brincadeira: “fui um péssimo baterista. Por isso
fui ser empresário”. Com uma coleção invejável de guitarras que ganhou de
grandes nomes da música ao longo da carreira, Paulo é enfático sobre não as
vender. “Nem sei quanto elas poderiam valer”, diz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais