Homem sequestra repórter da Globo, invade sede da emissora e exige ver Renata Vasconcellos

Diretor de jornalismo da emissora negocia com sequestrador

Publicado há 6 meses
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um homem invadiu, nesta quarta-feira (10), as instalações da TV Globo, no bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, e fez a repórter Marina Araújo refém. Tudo isso ocorreu no início da tarde e gerou pânico na sede do jornalismo da emissora.

De acordo com o site Metrópoles, funcionários do canal contaram que o homem estava armado com uma faca e segurava uma Bíblia. A exigência que dele foi falar com a apresentadora do Jornal Nacional Renata Vasconcellos, que nesta quinta completa 48 anos de idade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em imagens divulgadas pela publicação, é possível ver Marina sendo segurada pelo sequestrador e quatro pessoas ao fundo, aparentemente, negociando com o criminoso. As informações dão conta ainda de que Ali Kamel, diretor de jornalismo, também interveio.

Renata Vasconcellos no Jornal Nacional (Reprodução / Twitter)

O homem armado foi imobilizado e neutralizado, depois da âncora do JN aparecer. Ele teria combinado largar a faca e cumpriu. Informou o UOL que, segundo pessoas que presenciaram a ação, o invasor desejava aparecer ao vivo na TV Globo, além de falar com Renata Vasconcellos.

Alguns funcionários preparam um equipamento que gerou imagens que levaram o sequestrador a acreditar que estava ao vivo, no ar, quando na verdade apenas o circuito interno recebia o material. A repórter Marina Araújo passa bem depois do ocorrido, que durou cerca de meia hora.

Nota oficial

Conforme a notícia se espalhou, vários boatos de que a ação do invasor teria conotação política circularam pela internet. Pouco depois do susto, a TV Globo emitiu uma nota oficial a respeito do ocorrido, divulgada pelo UOL:

“A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à emissora e conduziu a negociação. O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem.”

A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente.

Assista

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais