Há oito anos, Gugu estreava na Record e Eliana retornava ao SBT

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 30 de agosto de 2009, uma movimentação interessante acontecia na televisão brasileira. Enquanto Gugu Liberato estreava o Programa do Gugu na Record, após 30 anos no SBT, a apresentadora Eliana ganhava um programa com seu nome nas tardes de domingo do SBT, após 11 anos na Record. Foi um troca-troca que, na prática, aumentou a sensação de mais do mesmo na programação dominical da TV aberta.

Tudo começou quando a Record, após um intenso “namoro”, finalmente conseguiu tirar Gugu Liberato do SBT. Na época, o apresentador estava à frente de seu Domingo Legal, que já não mais surpreendia, e vinha com poucas novidades em seu formato. O dominical tinha como único destaque o quadro Construindo um Sonho, no qual reformava as casas dos participantes. Sem perspectivas de melhoras, Gugu acabou cedendo aos apelos da Record, que oferecia um polpudo salário para que ele comandasse um novo programa dominical, e também a chance de fazer um talk show na Record News.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A princípio, Gugu ainda teria que terminar de cumprir seu contrato com o SBT, que iria até o final do ano de 2009. Porém, como a transferência já estava certa e se tornou o grande comentário nos bastidores da TV, o canal de Silvio Santos acabou optando por liberar Gugu meses antes, já que seria esquisito vê-lo à frente do Domingo Legal sabendo que, dali uns dias, ele estaria em outro canal. Entretanto, o fato de a Record ter tirado Gugu do SBT com contrato ainda em vigor não passou em brancas nuvens por Silvio Santos, que resolveu contra-atacar de uma maneira bem intensa. Numa tacada só, o dono do SBT tirou da Record o novelista Tiago Santiago, os apresentadores Roberto Justus e Richard Rasmussen, o jornalista Roberto Cabrini e a apresentadora Eliana.

Assim, no dia 12 de julho de 2009, Celso Portiolli surgiria no comando do Domingo Legal. Com a saída de Eliana dos domingos da Record, Ana Hickmann foi escalada para substituí-la no comando do Tudo É Possível, e também estreou no dia 12 de julho. Durante alguns domingos, dois programas já conhecidos do público, Domingo Legal e Tudo É Possível, passaram a ir ao ar com seus apresentadores substitutos, dando nova cara aos domingos da TV. Enquanto isso, Gugu preparava a estreia de seu Programa do Gugu, enquanto Eliana retornava ao SBT para comandar o programa Eliana. E as duas atrações estrearam justamente no mesmo dia, mas em horários distintos: Eliana iria ao ar das 15h às 19h, enquanto Programa do Gugu entrava das 20h à 0h.

E o que parecia ser um período intenso de estreias, revelou-se, na verdade, uma duplicação de mais do mesmo. Afinal, Eliana estreava no SBT com um programa no mesmo estilo que fazia na Record. Tudo É Possível e Programa Eliana, portanto, passaram a disputar o mesmo público com as mesmas armas. E o mesmo valeu para o Domingo Legal e o Programa do Gugu, que vinham com atrações também bem semelhantes, apenas em horários distintos. Domingo Legal, que a partir daquele dia passava a ir ao ar das 11h às 15h, continuava reformando casas no Construindo um Sonho, enquanto o Programa do Gugu fazia o mesmo com o Sonhar Mais um Sonho.

Tanto o Programa do Gugu quanto o Eliana estrearam mornos, e foram imprimindo uma série de mudanças tentando conquistar a audiência. Gugu, aos poucos, abandonou o Sonhar Mais Um Sonho e começou a apostar em quadros mais divertidos, como a Corrida do Gugu, Jogo da Música e a Escolinha do Gugu. Já Eliana trocou de diretor: saiu Leonor Correa, entrou Ariel Jacobowitz e, aos poucos, conseguiu se destacar na guerra dominical.

Nesta “guerra” de programas duplicados, o SBT levou a melhor: Domingo Legal, mesmo aos trancos e barrancos, está no ar até hoje, enquanto Eliana está consolidado na programação. Já a Record acabou modificando o seu domingo, ao extinguir o Tudo É Possível e, depois, colocando um ponto final no Programa do Gugu. A direção da emissora não se mostrava satisfeita com o desempenho de Gugu Liberato, o que acabou estremecendo a relação entre o artista e a casa, e que culminou com a quebra de contrato do apresentador.

Programa do Gugu, assim, foi substituído pelo O Melhor do Brasil, de Rodrigo Faro, que ia muito bem aos sábados. Com a mudança, a atração, mais tarde, foi reformulada, passando a se chamar Hora do Faro e, hoje, rende bons resultados à emissora. Já o espaço do Tudo É Possível foi, inicialmente, preenchido por filmes e, depois, pelo provisório Domingo da Gente, até a estreia do atual Domingo Show, de Geraldo Luís, que também vai muito bem.

Leia também:

Há 25 anos, terminava a novela Perigosas Peruas

Reveja a estreia de Gugu na Record:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais