Há 19 anos, Record exibia primeira versão de A História de Ester

Publicado em 14/12/2017

No dia 14 de dezembro de 1998, a Record exibia a primeira versão da minissérie bíblica A História de Ester. Em 10 capítulos, a trama era escrita por Yves Dumont e dirigida por Luís Antônio Piá, e foi exibida dentro da programação especial do fim daquele ano da emissora. Daniela Camargo vivia a personagem-título da minissérie, que ganhou uma nova e mais suntuosa versão em 2010.

A História de Ester se passa por volta de 400 anos A.C. na antiga Pérsia, onde hoje é o Irã, e começa com a pequena Hadassa sendo resgatada por Mordecai (Serafim Gonzalez) no momento em que seus pais são mortos numa perseguição dos amalequitas aos judeus. Mordecai, que trabalha no palácio do rei Assuero (Giuseppe Oristanio) como guarda do exército, passa a criar a garota como sua filha. Anos depois, num desfile que comemorava a vitória do exército contra os gregos, o rei Assuero e Hadassa (Daniela Camargo) trocam olhares.

Assuero é casado com Vasti (Alexia Deschamps), que naquele momento promove uma festa para mulheres. Quando o rei solicita sua presença no banquete e não é atendido, a expulsa do reino. Hamã (Roberto Frota), seu conselheiro, sugere que o rei convoque todas as virgens do reino para escolher uma nova rainha. Mordecai, ao saber disso, tenta esconder Hadassa, pois teme que ela possa sofrer represálias por ser judia. Mas ele não consegue, e Hadassa é levada pelos soldados. Ela, então, troca seu nome para Ester. Enquanto isso, o rei passa a noite com diversas mulheres, sem se encantar por nenhuma, até que chega a vez de Ester. O rei a reconhece e fica impressionado com sua beleza e sabedoria, já que mesmo atraída por Assuero, ela se mostra indignada por ser obrigada a se deitar com ele. Ester declara que sempre imaginou um amor para a vida toda e que este deveria ser conquistado, não imposto.

O rei Assuero se apaixona por Ester. Ele não passa a noite com ela, mas decide fazer de tudo para conquistá-la. Aos poucos, ela se rende ao amor por ele, sem revelar que é judia. Assim, Ester é a eleita de Assuero e coroada rainha de todo o império Persa. Entretanto, ao assumir o cargo de Primeiro Ministro do Imperador, Hamã, que é amalequita, exige que todos se curvem diante dele. Mas Mordecai se recusa, por acreditar, como os judeus, que deve se curvar somente a Deus. Hamã, enfurecido, planeja destruir os judeus. Dessa forma, Assuero decreta que o povo judeu deve ser aniquilado no dia 13 de dezembro.

Nos anos 1990, a Record passou a ser controlada pela Igreja Universal do Reino de Deus e, aos poucos, foi investindo em programação popular. Em 1997, a emissora passou a apostar em teledramaturgia, produzindo, inicialmente, minisséries de teor religioso. O canal exibiu tramas como A Filha do Demônio e Olho da Terra, séries baseadas em depoimentos de fiéis da igreja. Mais adiante, produziu também minisséries de outras temáticas, como Por Amor e Ódio. No final daquele ano, o canal apostou também em minisséries baseadas na Bíblia, exibindo O Desafio de Elias na semana do Natal de 1997. Sendo assim, com A História de Ester, no final de 1998, a emissora dava sequência ao seu projeto de séries bíblicas. Tanto O Desafio de Elias quanto A História de Ester foram produções da VTM (ou JPO Produções), escritas por Yves Dumont e dirigidas por Luís Antônio Piá.

Apesar de ser uma minissérie bíblica, a Record evitava dar um contexto religioso à obra. Em entrevista à Folha de S. Paulo na semana de estreia, o coordenador de produção Beto Schirpa afirmava que a história não falaria em Deus. “Você vai notar nos diálogos que o que importa é a história de amor, a intriga, não há tom religioso”, disse. A matéria da Folha revelava ainda que uma das maiores dificuldades do elenco era a maneira de falar. A atriz Fabiana Alvarez, que vivia Nefertiti, disse que ficou tão preocupada que, alguns dias antes das gravações, passou a falar com a voz empostada. “Atendia o telefone falando daquele jeito engraçado”, contou.

A ideia da Record era dar sequência à coprodução de minisséries bíblicas com a VTM, e 12 tramas já estavam no gatilho para dar andamento ao projeto. Entretanto, o plano não foi adiante, já que o canal preferiu investir mais em novelas. Na época, a VTM produzia também Estrela de Fogo, que fazia relativo sucesso na programação da emissora.

A Record só retomaria seu projeto de minisséries bíblicas mais de dez anos depois, em 2010, com produções próprias e mais investimentos. Curiosamente, a primeira minissérie produzida nesta nova fase foi justamente A História de Ester, que ganhou uma nova versão bem mais grandiosa. Depois disso, a emissora produziu também Sansão e Dalila, Rei Davi, José do Egito e Milagres de Jesus, até partir para a produção de novelas bíblicas, filão que segue mantendo.

Leia também:

A minissérie Capitu terminava há nove anos

Relembre A História de Ester: