Grupo Globo lança campanha de múltiplos olhares sobre o universo feminino

Um mundo melhor para as mulheres é um mundo melhor para todo mundo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Potência, diversidade, união, coragem, empatia, escolha, fala, força, esperança. Mais do que palavras, esses substantivos representam muito do que precisamos para fazer um mundo melhor. São características femininas que traduzem esperança e simbolizam a potencialidade de ser mulher.

E são elas o fio condutor da campanha desenvolvida pela Globo para celebrar o mês da mulher em 2021. Com o conceito “Um mundo melhor para as mulheres é um mundo melhor para todo mundo”, que permeia todas as ações da empresa dentro do universo feminino, a empresa lança campanha inédita em seus diferentes canais.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O mês de março também conta com programação especial e estudos inéditos, disponibilizados na Plataforma Gente. “É impossível resumir a importância e a força da mulher em apenas um dia no ano. Muito menos em uma palavra.

Ser mulher significa lutar e ter coragem diante de tantos desafios impostos ao longo dos anos. Lutar com a nossa força mas também com a nossa suavidade, empatia, união e com outras tantas características que nos fazem múltiplas”, afirma Mariana Sá, diretora de Soluções de Comunicação da Globo.

É fundamental destacarmos esses múltiplos olhares sobre o universo feminino, trazendo à tona discussões relevantes para, juntos, construirmos um mundo melhor para todo mundo. E é essa a mobilização que queremos propor, a brasileiras e brasileiros, não apenas no dia 8 de março ou no mês da mulher, mas no decorrer de todo ano”, complementa Beatriz Azeredo, diretora de Valor Social da Globo.  

Como parte das iniciativas, a Globo lança, em 8 de março, a campanha que conceitua a iniciativa. O filme, assinado por TV Globo, GNT, Off, Multishow, Gloob, GloboNews, Viva, SporTV, Combate e Première, será exibido nos canais Globo, no intervalo da programação.

O trabalho traz os múltiplos olhares sobre o universo feminino, valorizando a pluralidade e a diversidade, combatendo estereótipos e rótulos. Como conceito criativo, o filme apresenta os diferentes valores e características femininas, com seus significados ilustrados por cenas da vida real e da ficção.

Versões mais curtas e adaptadas ao tom de voz de cada canal serão veiculadas até o final do mês. Nas redes sociais a campanha ganha força convidando mulheres para escolher um dos substantivos femininos das peças e postar um vídeo comentando porque ela muda o mundo, reverberando a força com que essas palavras ecoam no universo feminino. 

Assista:

Um olhar para a mulher brasileira

A busca por um mundo mais justo e igualitário, que marca a história do Dia Internacional da Mulher, reúne uma série de conquistas, mas ainda há muito o que fazer nesse trajeto para uma realidade que seja melhor para todo mundo – especialmente quando falamos do Brasil.

E é isso que mostram uma pesquisa inédita e estudos exclusivos disponibilizados na Plataforma Gente (https://gente.globo.com/).  No dia 11 de março, serão publicados os mais recentes dados coletados pelo projeto Sintonia com a Sociedade, da Globo, sobre o tema.

O material tem como proposta discutir como, nas últimas décadas, apesar dos significativos avanços na luta pelos direitos das mulheres, a análise do contexto atual indica que ainda temos grandes desequilíbrios, que foram potencializados pelos impactos da pandemia e se manifestam em diferentes aspectos do nosso cotidiano.  

A crise da Covid-19 na realidade feminina é tema, também , de dois conteúdos autorais da plataforma. Já disponível, “Cinco lideranças femininas de destaque no combate à Covid-19 no Brasil”  traz o perfil de mulheres cujo trabalho tem feito a diferença no desafio enfrentado pelo país. Já o trabalho “A carreira das mulheres a partir da pandemia”, analisa as desigualdades trazidas à tona pela maior crise sanitária dos últimos tempos.   

A força feminina na tela da TV 

O mês de março também conta com uma programação especial. A novela Amor de Mãe e as personagens femininas que conduzem a história de Manuela Dias, com direção artística de José Luiz Villamarim, retornaram à TV Globo no dia 1º, com a reexibição de capítulos que resumem a primeira fase da novela das nove.

Também para abrir o mês da mulher, a trama de A Vida da Gente, sucesso da autora Lícia Manzo, com direção artística de Jayme Monjardim, voltou à faixa das seis. No mesmo dia, foi ao ar o filme da Tela QuenteAtômica‘ com Charlize Theron no papel principal.

A partir de quarta, dia 3, a série documental ‘Em Nome de Deus’, lançada ano passado no Globoplay, estreou na TV Globo, logo após o Big Brother Brasil 21. O documentário, com condução de Pedro Bial e da roteirista Camila Appel, acompanha a história do médium João de Deus desde a sua infância no interior de Goiás até sua prisão por crimes sexuais, mostrando ainda o trabalho de investigação realizado ao longo de 18 meses, a dualidade e os crimes atribuídos ao curandeiro.  

Já o primeiro ‘É de Casa’ do mês de março, no dia 6, recebeu mulheres inspiradoras em homenagem ao Dia da Mulher. À tarde, ainda no dia 6, o ‘Se Joga’ voltou à TV Globo, sob comando de Fernanda Gentil.

Ao vivo e com novidades que vão do conteúdo ao visual, a atração reúne o melhor da semana no mundo das celebridades, da TV, do cinema, da música e das redes sociais. E no fim da noite, o ‘Supercine’ levou ao público ‘Sex and The City: O Filme’, uma deliciosa comédia dramática estrelada por quatro amigas.

O ‘Fantástico’ do dia 7 mostrou um dos grandes exemplos femininos de força e perseverança, a americana Hattie McDaniel, primeira atriz negra a ganhar o Oscar por seu papel em ‘E o Vento Levou…’. Para fechar o fim de semana, o ‘Domingo Maior’ exibiu ‘A Vigilante do Amanhã: Ghost in The Shell’, em que Scarlett Johansson vive a Major Mira Killian, e no ‘Cinemaço’ o filme é ‘Até o Limite da Honra’, com Demi Moore no papel de uma oficial que torna-se a única mulher em um grupo de elite da Marinha Americana. 

Ainda na TV Globo, neste Dia internacional da Mulher, Fátima Bernardes conduziu um ‘Encontro’ especial, pensado e produzido por mulheres, para celebrar a alegria e a força feminina. A ‘Sessão da Tarde’ exibe ‘Joy: O Nome do Sucesso ‘, com Jennifer Lawrence como a protagonista do longa baseado na vida da inventora Joy Mangano.

À noite, será exibido o especial ‘Falas Femininas’, programa que destaca a trajetória de cinco mulheres inspiradoras. A programação da TV aberta ainda conta com  a volta da novela ‘Salve-se quem Puder’ e seu divertido trio de protagonistas, a partir de 22 de março.  

No esporte, tem novidade nas transmissões do futebol. Ainda em março, Renata Silveira estreia como a primeira mulher a narrar partidas na cobertura multiplataforma do Esporte da Globo, no SporTV.  Já no Globoplay, dia 8 tem a estreia da série exclusiva ‘Filhas de Eva’, uma trama que apresenta os sonhos, os conflitos e os desejos de três mulheres em diferentes fases de vida.

Outras histórias protagonizadas por mulheres também são destaque na plataforma, como “Por que as Mulheres Matam”, “Killing Eve”, “Todas as Mulheres do Mundo”, “L.A.’s Finest”, “Meu Nome é Liberdade”, “Hebe”, “Aruanas”; e documentários como “Marielle”, “Simone De Beauvoir”, “A Sexualidade Feminina”, “Michelle Obama: Esperança vira Mudança”, “Jackie Kennedy e A Luta Pelos Direitos Civis”, entre outros. 

Também no Dia Internacional da Mulher, o ‘Em Pauta’, da GloboNews, terá uma edição especial em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Com apresentação de Aline Midlej e Ana Paula Araújo, o programa recebe jornalistas mulheres para analisar temas relevantes do universo feminino, como liberdade reprodutiva, mulher em espaços de poder e mercado de trabalho.  

No canal GNT, o ‘Papo de Segunda’ terá, durante todo o mês, o quadro ‘Mulheres de Março’, que vai entrevistar mulheres relevantes nas redes sociais. Já o ‘Saia Justa’ volta, a partir do dia 3, para os debates ao vivo e presencial.

Nos dias 7 e 8, o canal estreia a plataforma ‘Diálogos GNT’ que traz o evento virtual “Mulheres do Presente”, com reflexões sobre autocuidado, empoderamento, maternidade e longevidade, a partir das 17h, no canal oficial do GNT no YouTube. Dia 8, logo após o Papo de Segunda, o documentário ‘Como Ela Faz?’ traz uma imersão na vida de doze mulheres, acompanhando suas rotinas e evidenciando os obstáculos que enfrentam por mais equidade.

O especial ‘Falas Femininas’ será exibido dia 10, às 23h30. No dia 15, é a vez do documentário ‘Mulheres Reconstruindo a América’ que dá foco para as mulheres que ganharam protagonismo no movimento feminista americano.  

O Multishow celebra o Dia da Mulher com um TVZ Especial dedicado ao tema. A apresentadora Dedé Teicher comanda conversas virtuais com artistas que trazem o girl power em forma de música e humor. Uma seleção de clipes também será exibida em toda a programação e no YouTube do canal serão relembradas cenas hilárias com as personagens femininas ao longo da semana.

Completando as ações, nos perfis oficiais do Multishow no TikTok e no Reels do Instagram, artistas convidadas participam de desafios e esquetes especiais para o Dia da Mulher. Entre os dias 8 e 12 março o Canal BIS enaltece a força das brasileiras que fazem história na música com a exibição de performances de cantoras nacionais como Pitty, Teresa Cristina, Maria Gadú, Rita Lee e Fernanda Abreu.

Nos dias 13 e 14 sábado, é a vez de conferir documentários sobre Maria Bethânia e grandes nomes femininos do funk como Anitta, Pocah, Kelly Key, Tati Zaqui e MC Rebecca.  

O canal VIVA exibe quatro episódios emblemáticos da série ‘Mulher’, sucesso de 1998 da TV Globo e serão exibidos aos sábados, a partir das 20h30, com reexibições aos domingos, a partir das 12h15.

E ao longo de março o Canal OFF está com uma versão atualizada do #MaréFemininaNoOFF. Toda segunda-feira, o OFF Docs traz matérias com novos rostos, opiniões e ideias do surfe feminino e, no dia 8 de março, uma programação especial durante todo o horário nobre mostra documentários marcantes com o universo feminino como temática.  

Talentos da Globo debatem ‘Um Mundo Melhor para as Mulheres’ em ação no Clubhouse 

No dia 1º, a Globo reuniu personalidades femininas que estão nos programas e ações especiais deste mês de março em uma sala do Clubhouse, com mediação de Poliana Abritta, sobre o tema ‘Um mundo melhor para as mulheres é um mundo melhor para todos’.

Em um bate-papo cheio de verdade e descontração, nomes como Nanda Costa, Flávia Alessandra, Fernanda Vasconcellos, Dira Paes, Vanessa Giácomo, Ana Paula Araújo, Fabiana Karla, Antonia Prado, Patricia Carvalho, Renata Silveira, Camila Appel e Astrid Fontenelle, além da diretora de Valor Social da Globo, Beatriz Azeredo, falaram sobre seus projetos profissionais e deram depoimentos pessoais sobre os dilemas femininos da atualidade. 

 A apresentadora Astrid Fontenelle participou do encontro e afirmou que as mulheres “precisam reverberar a mensagem da irmandade entre as mulheres. Um mundo melhor para as mulheres vai ser um mundo melhor pra todos quando nós, mulheres, tivermos plena consciência do nosso papel na sociedade. É importante a função feminina de exercer e estar muito atenta a nossa irmandade, de abrir espaço pra outra, de aprender com a outra”. 

Já a atriz Flávia Alessandra falou de sua experiência com Helena, sua personagem em ‘Salve-se Quem Puder’, que sofre assédio psicológico e, depois, chega a violência física. “Vivi momentos de muita tensão e confusão de sentimentos, e a gente fica se colocando no lugar das pessoas, pra trazer aquela verdade.

Depois das gravações, eu ficava mal e pensava ‘estou vivendo uma ficção, imagina uma mulher que está entranhada de verdade em uma rotina, uma vida como essa, a dificuldade que deve ser pra ela ter forças e coragem pra não ter pudor, pra não ser condenada por outras e pela sociedade.’ Foi uma experiência muito profunda“, comenta. 

De volta ao ar com a apresentação do ‘Se Joga’ aos sábados à tarde, Fernanda Gentil reforçou a força e complexidade da figura materna: “A importância da mãe está na quantidade de facetas que a gente tem.

Mãe é mulher, mãe tem que ser esposa, tem que ser trabalhadora, tem que ser profissional. Ainda tem que ser mãe, que não é uma função fácil.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio