Gravadas na mesma época, teria Triunfo do Amor plagiado Ti Ti Ti?

Rivalidade entre estilistas escancara várias semelhanças com a trama da Globo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na atual fase de Triunfo do Amor, novela mexicana em cartaz nas tardes do SBT, o público perceberá um aumento das cenas do personagem Pepino, o estilista da maison Elegance Victória México, interpretado pelo veterano Miguel Pizarro. Este momento da história, no entanto, chama atenção pelas gritantes semelhanças com Ti Ti Ti, novela de Maria Adelaide Amaral, em exibição no Vale a Pena Ver de Novo.

Único alívio cômico deste dramalhão protagonizado por Maite Perroni, Pepino ganha mais espaço no folhetim após a chegada de Luchiano Ferreti, um estilista de moda italiana contratado por Bernarda, que assumirá suas próximas coleções de sua empresa. E assim como Jacques Leclair e Victor Valentim, eles também se mordem de inveja um do outro e disputam a atenção no mundo fashion. Dois rivais daqueles bem inusitados e de mente brilhante.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, Luciano Ferreti é uma figura inexistente na versão original da novela, Cristal (1985-1986), e também nas versões seguintes, O Privilégio de Amar (1998) e Cristal (2006), sendo esta última produzida pelo SBT. O que a partir disso, incita certa curiosidade sobre uma possível inspiração em Ti Ti Ti, que curiosamente foi produzida quase que simultaneamente com Triunfo do Amor. A novela da Globo estreou três meses antes da produção da Televisa.

Coincidência ou não, as semelhanças vão além da rivalidade dos personagens e sobrepõe aspectos bem peculiares da produção brasileira. Assim como Jacques e Valentim, a dupla Pepino e Luciano também não são homossexuais, embora a extravagância e trejeitos absurdamente caricatos e um tanto quanto incompreensíveis.

Outro caso

Se na teledramaturgia brasileira temos a emblemática cena da novela Avenida Brasil, em que a personagem Nina (Débora Falabella) é enterrada viva por Carminha (Adriana Esteves), lá no México, uma sequência semelhante também deixou marcas do sucesso.

E ela de deu através de Abismo de Paixão, folhetim também gravado simultaneamente com a novela da Globo e posteriormente transmitida em duas oportunidades pelo SBT. Nela, a maquiavélica Ingrid Navarro, interpretada pela atriz Isabella Camil, após ser torturada à quase morte pelo vilão de Salvador Zerboni, Ramiro, a personagem tem seu final simplesmente replicado da trama de João Emanuel Carneiro.

Na ocasião, o êxito de Avenida Brasil fez com que executivos da rede mexicana intervissem na trama de Abismo de Paixão para implementação da cena, que não estava prevista na sinopse original.

Assista:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio