Globoplay supera expectativas e terá A Usurpadora em seu catálogo; novela é ícone da cultura pop

Clássico de 1998 traz Gabriela Spanic como protagonista

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os adoradores de um bom dramalhão latino que preparem o coração para a chegada do clássico mexicano A Usurpadora ao catálogo do Globoplay. O folhetim produzido pela Televisa em 1998, leva a assinatura de Salvador Mejía na produção executiva e foi escrito originalmente por Carlos Romero, o responsável pelo protagonismo de Gabriela Spanic como as gêmeas Paola Bracho e Paulina Martins.

Em contato, o Globoplay confirmou a informação ao Observatório da TV. Sendo assim, o momento marca o debute da imagem da renomada atriz no conglomerado Globo, o terceiro maior grupo de mídia e comunicação do mundo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Gabriela Spanic apareceu no Brasil pela primeira vez através da Band, em Morena Clara, uma novela venezuelana de 1993. Mas foi com A Usurpadora, na grade do SBT, que a estrela se projetou no Brasil com alcance exponencial. O clássico transcendeu o tempo e transformou-se numa das mais relembradas e aclamadas histórias tele dramatúrgicas de todos os tempos.

Consequentemente, Spanic e a gêmea má, Paola Bracho, converteram-se em ícone da cultura pop até os dias atuais. A novela foi apresentada no SBT pela última vez entre novembro de 2016 a janeiro de 2017, em apenas 51 capítulos.

Em tempo, este cenário torna-se um dos mais curiosos e inimagináveis. Cabe ressaltar que atualmente existe uma versão em série de A Usurpadora, disponível no catalogo do Amazon Prime Vídeo há mais de dois anos. O Globoplay, que agora é a mais nova parceira de conteúdo da rede mexicana Televisa no Brasil, também apostará em outros títulos.

E vem mais por ai!

Na promessa para as próximas novidades deste seguimento ainda estão as séries Rubi (2020) e Sin Miedo a La Verdad (2018), e as novelas Império de Mentiras (2020/2021) e Amar a Muerte (2019).

Olhar Latino: Gaby Spanic está de volta!!

A releitura

A trama da nova A Usurpadora tem início quando Paola (Sandra Echeverría), esposa do presidente mexicano Carlos Bernal (Andrés Palacios), descobre durante uma visita à Colômbia uma irmã gêmea cuja existência desconhecia. Trata-se da ingênua e humilde Paulina (Sandra Echeverría).

Decidida a se livrar da família de seu marido e fugir com seu amante, ela usa mentiras mirabolantes para convencer Paulina a se passar por ela por alguns dias na residência presidencial. Seu objetivo é matar Paulina durante o período de usurpação, como forma de forjar a própria morte.

O problema é que a gêmea do bem sobrevive ao atentado. E Paola, sem saber de nada, some ao lado do narcotraficante com quem tem um affair. Com isso, Paulina é obrigada a continuar usurpando o lugar de sua irmã. Nesse meio tempo, porém, apaixona-se pelo marido dela, Carlos Daniel.

Detalhes

Esta adaptação de A Usurpadora faz parte do projeto da Televisa denominado Fábrica de Sueños, o qual adaptará os maiores clássicos do catálogo da rede mexicana para séries contemporâneas de 20 a 25 episódios. Cuna de Lobos e Rubi são algumas delas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio