Globoplay lança Diário de um Confinado – Episódio Especial

O especial de fim de ano encerra a série protagonizada por Bruno Mazzeo

Publicado há um mês
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Já está disponível no Globoplay mais uma “aventura” de Murilo (Bruno Mazzeo), que passou o ano confinado em seu apartamento. Em Diário de um Confinado – Episódio Especial, o rapaz está às voltas com as festas de fim de ano em meio ao “novo normal”.

O programa é uma criação de Bruno Mazzeo, autor e protagonista, com sua mulher, Joana Jabace, diretora artística do projeto. Este episódio especial mostra o desfecho do ano do personagem que cativou o público e gerou muita identificação em tempos de pandemia.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A gente encerra um ano bem maluco, com a série tratando das festas de fim de ano, com a ceia de Natal e a noite de Réveillon na trama. Mas, sobretudo, este episódio fala de relações”, explica Bruno.

Joana complementa: “Estreamos esse projeto na pandemia de uma forma artesanal. Os personagens foram crescendo junto com a série, com a segunda temporada. E este especial de final de ano fala muito sobre a relação do Murilo com a Adelaide e sobre como as relações se deram neste período: quem estava solteiro e começou uma relação na pandemia, quais são esses novos códigos de relacionamento, como ficam as relações familiares. O especial fala muito das ligações afetivas e familiares nesse novo normal”, detalha a diretora.

Além do episódio especial – o 19º da série – as outras duas temporadas e o making of da primeira fase do projeto também podem ser maratonados no Globoplay. O especial, segundo Bruno, encerra este diário de Murilo. “É um fecho da série, com dramaturgia longa e um arco maior”, explica.

Positivo para o amor

Após tantos meses se encontrando apenas por chamadas de vídeo, Murilo finalmente vai rever a família. Ele até sugere uma ceia on-line, mas, para Marília (Renata Sorrah), o Natal é sagrado e uma tradição de todos os anos. Para o encontro dar certo, os protocolos são simples: roupa vermelha, chegada às 20h, ceia às 21h e, claro, o resultado negativo no teste para o coronavírus, definido pela matriarca como “a pulseirinha VIP do evento”.

Mas convidar ou não Adelaide para a ceia é a dúvida que não sai da cabeça de Murilo. Ele busca o conselho dos amigos Eraldo, Lipe e Samuca em um chope – ao ar livre – no Leblon. E, antes do jantar em família, tem mais uma missão importante – praticamente uma resolução de Ano Novo: fechar de vez a história com Pri (Letícia Colin) e ficar livre para, quem sabe, viver uma nova relação.

Já a história de Murilo com Adelaide (Débora Bloch), apesar de aparentemente estar cada vez mais firme, ainda não tem nome definido. De vizinhos, eles se tornaram “colegas de quarentena”. O que eles não imaginam é que a falta de rótulo pode gerar alguns desconfortos. Principalmente quando se tem os parentes de Murilo por perto.

“Fazer Diário de um Confinado ao longo deste ano me salvou da tristeza, foi um alento, um alívio, uma trégua! Descobrir uma nova maneira de gravar e trabalhar com amigos foi maravilhoso. Foi uma forma de nos reinventarmos e sobrevivermos”, comentou Débora Bloch, que além de viver Adelaide, mais uma vez dirige o programa, ao lado de Joana Jabace,

Diário de um Confinado é uma criação de Joana Jabace e Bruno Mazzeo. A obra é escrita por Bruno Mazzeo, com Tati Bernardi, Veronica Debom e Dino Cantelli, e tem direção artística de Joana Jabace.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio