Briga judicial

Globo vence batalha contra a Fifa para não pagar parcela de contrato que inclui a Copa

Emissora carioca alega falta de condições por causa da pandemia

Publicado em 20/11/2020

A Globo pode comemorar a vitória de uma batalha de uma guerra que mantém contra a Fifa para não a parcela de 2020 do contrato de direitos de transmissão de competições da entidade máxima do futebol. O contrato vale para contratos desde 2015 até a Copa do Mundo de 2022.

A emissora de televisão brasileira não quis pagar 90 milhões de dólares por causa da crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus. A questão sanitária adiou, inclusive, competições previstas pelo contrato, levando ainda mais prejuízo à rede carioca.

A Fifa não gostou da atitude de sua parceira no Brasil e tentou reverter o calote na Justiça, com uma liminar de emergência em setembro. Sem sucesso, recorreu e, agora, em segunda instância, perdeu, de novo a batalha na 6ª Vara Empresarial da Justiça do Rio de Janeiro.

Com o amparo dos desembargadores, a Globo poderia, então, tentar um novo acordo com a Fifa, evitando um prejuízo ainda maior. No entanto, a guerra ainda não acabou. De acordo com o jornalista Gabriel Vaquer, do UOL, a entidade pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).