Globo Repórter mostra a procura dos brasileiros por queijos artesanais

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Foi-se o tempo em que, para comprar queijos mais sofisticados, os brasileiros precisavam recorrer aos importados. Hoje em dia, além dos de laticínios, como os tradicionais minas, prato ou mussarela, o brasileiro fabrica os mais diversos tipos de queijo, que não ficam atrás dos europeus.

E eles não estão mais limitados apenas às sofisticadas rotisserie; estão cada vez mais presentes nos supermercados tradicionais. A descoberta dos brasileiros pelos queijos artesanais é o tema do Globo Repórter dessa sexta-feira, dia 13, o segundo comemorativo dos 45 anos do programa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Globo transforma Mister Brau em longa-metragem e vai exibi-lo na Sessão da Tarde

Canastra, mussarela de búfala, parmesão. Qual deles é o mais saboroso? A repórter Isabela Assumpção viajou para alguns lugares do país, como a Serra da Canastra, não apenas para experimentar, mas para mostrar como o queijo está movimentando a economia da região. “Há até bem pouco tempo atrás, os queijos mais finos eram os franceses, holandeses. Mas hoje em dia há queijos brasileiros que empatam em termos de qualidade com esses queijos finos europeus”, conta a repórter.

“O Brasil já foi o país do café, da cana-de-açúcar, da borracha, mas nunca foi o país do queijo. O ‘Globo Repórter’ mostra que os queijos artesanais estão crescendo muito no país, não apenas em termos de produção, mas de consumo, trabalho e subsistência”, antecipa Isabela. Tem brasileiro mudando de cidade e de profissão para experimentar o prazer de fabricar queijo. Um mercado que também está trazendo boas oportunidades de trabalho para os jovens.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio