Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Vem aí

Globo Repórter explora a natureza do litoral de Santa Catarina

Ricardo Von Dorff é o responsável pela reportagem

Publicado em 02/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O lugar onde vive um dos mamíferos mais raros do mundo, o menor golfinho do Brasil e o gigante dos mares, que chega a medir três metros e pesar 400 quilos. Histórias surpreendentes do litoral de Santa Catarina estão no Globo Repórter desta sexta-feira (3) uma coprodução com a afiliada da Globo no estado.

São 530 quilômetros de uma costa fascinante, paraíso da vida marinha com mais de 1.400 espécies.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Desde o início, nossa ideia com esse programa não era mostrar o litoral já conhecido de Santa Catarina, das praias badaladas. Queremos mostrar as raridades da natureza, aquilo que pouca gente sabe que temos e que é até difícil de ver. Esse programa fala muito da preservação da natureza do litoral catarinense, das suas espécies, dos seus biomas, seus ecossistemas e da preservação da cultura litorânea da pesca da tainha, do boto”, adianta o repórter Ricardo Von Dorff.

Pelo mar, a equipe sai de Florianópolis rumo ao Arquipélago Moleques do Sul, distante cerca de 10km da costa, em busca do preá-de-Moleques-do-Sul, um dos mamíferos mais raros do mundo. Estima-se que existam cerca de 50 animais desta espécie, que pesa pouco mais de meio quilo e mede cerca de 25 centímetros e precisa continuar isolada para que seja preservada.

O preá-de-Moleques-do-Sul é o mamífero mais raro do mundo no critério de distribuição geográfica. Ele é tão raro e a população tão pequena, que o local é considerado intangível. É parte do Parque Estadual do Tabuleiro, reserva da biosfera pela Unesco. Oito mil anos atrás essa ilha era unida ao continente. Quando o nível do mar subiu, virou uma ilha e os animais que estavam em cima ficaram isolados”, explica Von Dorff.

As toninhas e o peixe mero também estão no programa. Na Baía da Babitonga, a última área de manguezal de Santa Catarina, vivem cerca de 50 a 80 toninhas, o menor golfinho do Brasil. A espécie, que já foi considerada por pesquisadores a mais abundante dos litorais sul e sudeste do Brasil, hoje é a mais ameaçada de extinção. Por conta de seu comportamento tímido e discreto, é chamada por pesquisadores de “golfinho invisível”.

As toninhas são a menor espécie de golfinho do Brasil e a mais ameaçada. Elas vivem entre a Patagônia e o Espírito Santo e na Baía da Babitonga, em Santa Catarina, a única população da espécie em água fechada. Muitos biólogos só viram toninhas vivas por causa dessa população, que foi descoberta há 20 anos e vem sendo acompanhada e estudada pelo Projeto Toninhas. Estima-se uma população de 50 a 80 animais”, conta o repórter.

Em tocas dos costões rochosos e nos recifes de corais vive o “gigante dos oceanos”. O peixe mero, espécie que pode pesar até 400 quilos e medir até três metros de comprimento, também anda ameaçada de extinção. A estimativa é que nos últimos 65 anos, a população de meros foi reduzida em 80%.

O Globo Repórter vai ao ar na noite de sexta-feira, dia 3, logo após a novela Um Lugar ao Sol.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....