Globo Repórter desvenda os segredos do Cerrado

O repórter Fábio Castro percorre florestas e cachoeiras

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta sexta-feira (26), o Globo Repórter mostra as impressionantes águas de um dos biomas mais antigos do mundo. Rios, nascentes, trilhas, parques naturais, fauna e flora típicos do Cerrado estão no programa apresentado por Gloria Maria e Sandra Annenberg.

Em uma coprodução com a TV Anhanguera, afiliada da Globo em Goiás e no Tocantins, o repórter Fábio Castro percorre florestas e cachoeiras para revelar a beleza da região conhecida como o coração do Brasil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Foram semanas viajando pelo interior do Brasil Central para descobrir os segredos que essas águas guardam, a vida selvagem e porque é importante manter tudo isso preservado”, conta o repórter.

“Os estudiosos do cerrado chamam o bioma de ‘caixa d’água do nosso país’. É uma forma de ajudar a entender como é importante preservar essa imensa região do Brasil de muitas nascentes e onde corre muita água debaixo do solo”, complementa Fábio Castro.

No Parque Nacional das Emas, diversas espécies, como onças, antas, veados, tamanduás e muitas aves, convivem em uma área preservada. “Conseguimos registrar para o programa a presença de muitos animais e chegamos perto de alguns deles no parque de Goiás, um patrimônio natural da humanidade”, revela Fábio. “Apesar de serem animais selvagens, eles se sentem seguros nessa área da reserva, onde a natureza está protegida”, complementa.

O Parque também abriga milhares de cupinzeiros, de todas as formas e tamanhos. Além de alimentar muitas espécies e de levar a água da chuva para os reservatórios que existem embaixo da terra, eles também proporcionam o espetáculo da bioluminescência, uma luz linda, mas perigosa para os insetos que a conferem de perto.

“Presenciamos esse fenômeno que atrai estudiosos do mundo inteiro. Cupinzeiros gigantes iluminados por insetos à noite lembram um prédio com janelas iluminadas. É muito bonito na escuridão do cerrado. Fomos entender porque isso ocorre e descobrimos que é uma forma de sobrevivência”, adianta o repórter.

O programa mostra ainda as águas puríssimas do Rio Formoso num passeio de barco cheio de aventuras. Destaque para as imponentes cachoeiras do cerrado: a cachoeira São Domingos, no município de Piranhas, com 96 metros de queda d’água, altura de um prédio de 32 andares; e a cachoeira Santa Helena, em Caiapônia, se destaca pelo paredão de água; além da cachoeira do Jalapa, formada por paredões e um poço, perfeito para mergulho.

No Parque Nacional da Serra de Caldas a busca foi pelas fontes, de onde brotam águas quentes que se derramam e formam o maior rio de água quente do mundo. Com apenas 12 quilômetros de extensão, o rio tem uma variedade enorme de peixes, mesmo em temperaturas próximas dos 40 graus. “Nadamos num rio de água quente e fomos atrás do lugar onde ele nasce, a uma temperatura de mais de 60 graus”, explica Fábio.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio