Globo emita nota de repúdio à agressão verbal de Bolsonaro contra jornalista: “Gritos e intolerância”

Presidente respondeu agressivamente à pergunta de Laurene Santos

Publicado em 21/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A TV Globo enviou à imprensa, na noite desta segunda-feira (21), uma nota de repúdio à atitude do presidente Jair Bolsonaro, que disparou agressões verbais contra a repórter Laurene Santos e a própria emissora ao ser questionado sobre o fato de ter chegado sem máscara a Guaratinguetá, interior de São Paulo.

Através do comunicado oficial, o canal carioca informou que repudia “o tratamento dado pelo presidente” à jornalista da TV Vanguarda, afiliada da Globo em São José dos Campos (SP), uma vez que esta “cumpria apenas o seu dever profissional.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil. Esta, ao contrário dele, seguirá cumprindo o seu papel com serenidade. À Laurene Santos, a irrestrita solidariedade da Globo e da TV Vanguarda“, conclui o parecer da emissora.

A nova ‘peripécia’ do Presidente da República aconteceu no início da tarde de hoje, durante uma cerimônia de especialistas da uma cerimônia de formatura da Escola de Especialistas da Aeronáutica (EEAR).

Cala a boca! Vocês são uns canalhas, vocês fazem um jornalismo canalha, que não ajuda em nada. Vocês não ajudam em nada. Vocês destroem a família brasileira, destroem a religião brasileira, vocês não prestam”, disparou Bolsonaro, em resposta ao questionamento de Laurene.

Confira a íntegra da nota de repúdio da Globo

O presidente Jair Bolsonaro falou hoje sobre marca de 500 mil mortos por COVID no Brasil alcançada no sábado. Foi em viagem a Guaratinguetá, interior de São Paulo, durante conversa com jornalistas que o questionaram se gostaria de dizer alguma palavra sobre as mortes.

Bolsonaro disse que lamenta todos os óbitos e em seguida voltou a defender o uso de medicamentos ineficazes contra a COVID. Na mesma entrevista, o presidente destratou a repórter Laurene Santos, da TV Vanguarda, afiliada da Globo.

Laurene perguntou por que ele tinha chegado à cidade sem máscara mesmo tendo sido multado recentemente em São Paulo por não usar a proteção. Bolsonaro disse “eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida”.

Em seguida, tirou novamente a máscara. A repórter tentou explicar que o uso da máscara é exigência de lei. Mas o presidente mandou a repórter calar a boca e insultou a Globo com palavrões.

A Globo e a TV Vanguarda repudiam o tratamento dado pelo presidente à repórter Laurene Santos, que cumpria apenas o seu dever profissional. Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil. Esta, ao contrário dele, seguirá cumprindo o seu papel com serenidade. À Laurene Santos, a irrestrita solidariedade da Globo e da TV Vanguarda.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio