Globo e SporTV fazem balanço da cobertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio

Preparação especial torna cobertura mais inclusiva e discute capacitismo

Publicado em 6/9/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos de Tóquio foi recheada de simbolismos. Carregando a bandeira brasileira, estava o nadador Daniel Dias, maior atleta paralímpico da história, com 27 medalhas conquistadas e que se despediu das piscinas nesta edição.

A delegação brasileira deu um show nos treze dias de competição. Conquistou sua 100ª medalha de ouro e teve o melhor desempenho entre todas as edições, subindo 72 vezes ao pódio, em 22 delas no lugar mais alto. Uma edição histórica, que se refletiu na cobertura do SporTV e da TV Globo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O objetivo era que a nossa cobertura dos Jogos Paralímpicos tivesse o mesmo foco da cobertura dos Jogos Olímpicos: o registro das grandes performances de grandes atletas, sem deixar de lado as histórias humanas e o clima do evento. O olhar para um atleta paralímpico precisa ser o mesmo que temos para um atleta olímpico. Acreditamos que o Esporte hoje precisa discutir, de forma inclusiva, os comportamentos da nossa sociedade. E os Jogos Paralímpicos têm uma enorme importância nessa discussão”, diz Joana Thimóteo, diretora de eventos esportivos da Globo.

As transmissões ganharam uma linguagem mais explicativa e o uso de autodescrição. “Nenhuma destas mudanças foi por acaso. Tivemos um processo de preparação e contribuição para que as transmissões fossem mais cada vez mais ricas”, explica a narradora Natália Lara. As equipes passaram por um treinamento antes do início dos Jogos Paralímpicos., com a participação de atletas e especialistas, para um debate sobre deficiência e anticapacitismo.

Nomes importantes do esporte paralímpico brasileiro como Clodoaldo Silva, Ádria dos Santos e Verônica Hipólito abrilhantaram as transmissões e se destacaram entre o público que acompanhou a competição.

“A experiência foi tão maravilhosa que nem sinto que não estive nos Jogos de Tóquio. Minha sensação é a de que estive com eles nas arquibancadas, vibrando pelos meus amigos”, afirma Verônica Hipólito.

Pioneiro nas transmissões paralímpicas desde 2004, o SporTV dedicou mais de 100 horas ao vivo para os Jogos Paralímpicos e colocou no ar o Conexão Tóquio, programa diário conduzido por Flávio Canto e Fernando Fernandes. A TV Globo mostrou ao vivo o pentacampeonato do futebol de cinco e acompanhou a participação brasileira através de compactos, boletins, programas e telejornais.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio