Glenda Kozlowski fala sobre trabalho na Copa e assédio sofrido por colega da Globo

Publicado há 3 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Responsável por ser uma das jornalistas que estão na Rússia para cobrir a Copa do Mundo pela TV Globo, Glenda Kozlowski declarou acreditar que a seleção brasileira possui a capacidade para levar mais uma vez a taça pra casa.

Veja: Globo libera publicidade para equipe de esportes

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O Brasil fez uma campanha avassaladora nas eliminatórias. Temos vários craques, respeitados nos seus clubes na Europa, e um técnico [Tite] muito competente. Mas o esporte, às vezes, tem o seu tempero de crueldade. Números dão moral, mas não ganham jogo. Competência, experiência, mente, estrela e sorte definem quem vai ser campeão. Chegamos à Rússia com todas as credenciais para o hexa. Eu acredito no título”, afirmou a famosa à Patrícia Kogut.

Por causa do fuso horário do país estrangeiro, a profissional está dormindo pouco. “Normalmente acordo às 4h para fazer o Jornal da Globo e depois descanso umas duas horas. Treinos, coletivas, entrevistas, tudo começa à tarde. O treino, geralmente, é às 17h. A coletiva, quando acontece, é às 19h. Com essa descansada depois do JG, consigo levar bem o resto do dia. Mas faz parte da minha profissão, me preparei mentalmente para isso. Estou trabalhando muito, mas também curtindo participar desse grande evento”, disse a jornalista.

Saiba mais: Repórter da Globo é agredido por brasileiros na Rússia durante matéria

Questionada sobre Júlia Guimarães, repórter da platinada que foi assediada por um torcedor enquanto tentava fazer um link, Glenda elogiou a colega. “Júlia foi de uma elegância ímpar. Um exemplo de postura e de profissionalismo. Aqui na Rússia, existem alguns tratamentos mais rudes com a mulher mesmo”, concluiu Kozlowski.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio