Giovanna Antonelli recorda personagem lésbica no Conversa com Bial: “Conseguimos trazer o amor”

Atriz fez par gay com Tainá Muller em 2014

Publicado há 3 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em mais um episódio da série que celebra os 70 anos da TV brasileira, o Conversa com Bial desta terça-feira (25) traz, pela primeira vez no programa, a atriz Giovanna Antonelli, que comenta sobre os seus 30 anos de carreira e alguns de seus personagens mais icônicos.

Enérgica e bem-humorada, durante a entrevista com Pedro Bial a convidada também aborda o seu lado empreendedor, as lições da maternidade e mostra um pouco mais de sua personalidade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Filha de pai cantor e mãe bailarina, Giovanna Antonelli nasceu e cresceu imersa em arte e cultura. Começou cedo, aos 13 anos, primeiro como assistente de palco da apresentadora Angélica, até alcançar a marca de 29 trabalhos na televisão, entre séries e novelas.

No programa desta terça-feira, Giovanna Antonelli conta que ser atriz sempre foi a sua vocação e relembra os sucessos que, em sua opinião, marcaram essa carreira tão bem-sucedida.

Fazem parte de sua lista Capitu de Laços de Família (2000), a vilã Bárbara de Da Cor do Pecado (2004), a delegada Helô em Salve Jorge (2012), e Atena de A Regra do Jogo (2015). A atriz também fala sobre Clara, personagem que interpretou na novela Em Família, em 2014, e a repercussão do papel na época.

Na trama, Clara fazia par romântico com a fotógrafa Marina, vivida por Tainá Muller, e o beijo entre as personagens foi tema de muitas discussões e debates. Sobre o casal, Giovanna e Pedro Bial fazem uma análise de como o romance foi um avanço na teledramaturgia brasileira.

Quem enxerga o preconceito, vê o preconceito em qualquer situação. Eu acho que foi tocando o coração das pessoas e elas foram entender que isso poderia acontecer na vida de qualquer um, independentemente do sexo. Acho que a gente conseguiu trazer o amor”, afirma a atriz.

Fé sem rótulos

Dona de uma grande energia, Giovanna Antonelli também vai além de sua carreira na televisão e conta a Bial um pouco sobre suas crenças e características, fora da vida pública. A atriz afirma acreditar em tudo que a faz bem e que ter fé não significa ter religião.

Eu acredito em tudo. Eu tenho uma fé que me move, uma certeza… Ninguém vai me dizer o que eu tenho que fazer melhor do que o meu coração, a minha crença e a minha visão”. E é exatamente esse lado enérgico e de bem com a vida que fez a atriz assumir um outro desafio, o de empreender.

Sobre tal faceta, longe dos holofotes, Giovanna comenta: “Eu tenho muito orgulho de ser brasileira, apostar no meu país e gerar emprego. Isso é muito importante para mim”.

Eterna sonhadora

Também durante o Conversa, Giovanna Antonelli fala sobre a maternidade. Mãe de Pietro, de 15 anos, e das gêmeas Antônia e Sofia, de 10 anos, ela revela: “Desde criança, meu sonho era atuar e ser mãe. Eu teria mais filhos, inclusive, se a gente não vivesse nesse mundo louco”.  

Giovanna Antonelli também fala sobre contracenar com figuras como Lima Duarte, Walderez de Barros e Leonardo Villar, e a sua relação com a Internet e as redes sociais.  

Nesta semana, Pedro Bial ainda recebe no Conversa com Bial o locutor Silvio Luiz e o ex-comentarista e árbitro Arnaldo Cezar Coelho, em um papo sobre futebol, além da atriz Eva Wilma, em um novo episódio sobre os 70 anos da televisão brasileira.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio