Geraldo Luís entrevista familiares de Waldick Soriano, ícone do estilo brega, morto há 9 anos

Publicado há 3 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ícone do estilo brega nos anos 1960 e 1970, Waldick Soriano morreu em setembro de 2008 deixando uma série de sucessos, como a inesquecível “Eu Não Sou Cachorro Não”, e fãs espalhados pelo Brasil inteiro.

O que pouca gente sabe é que o artista, nascido em 1933 na Bahia, morreu pobre, segundo seu filho Waldemar da Silva Soriano Sobrinho, em entrevista que vai ao ar no Domingo Show do dia 20/08. “Se não fosse minha sogra e minha mulher, Penha, eu não teria nem lugar para morar”, afirma, em conversa com Geraldo Luís. Ele ainda comenta que o único patrimônio deixado pelo cantor são os direitos autorais das canções e que hoje são alvo de disputa pela família.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O apresentador também fala com Marines Medrado, viúva de Waldick, que foi tema de um documentário dirigido pela atriz Patricia Pillar. Ela conta que o marido preferiu não se tratar ao saber que tinha um câncer. “Ele não gostava de médico. Para ir para hospital, para ir assim. Acho que ele ainda foi ao dentista e ao oculista porque realmente era uma coisa que ele precisava”, diz. E, entre as centenas de músicas gravadas pelo artista, Marines revela: “Ele queria gravar muito ‘My Way’.”

O Domingo Show é apresentado por Geraldo Luis e vai ao ar a partir das 11h, ao vivo, com direção geral de Rafael Perantunes e direção executiva de Givanildo Menezes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais