Garoto de programa em Segundo Sol, Hugo Moura fala sobre o personagem: “Tem cenas quentes”

Publicado há 3 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 14 de maio, irá ao ar na TV Globo o primeiro capítulo de Segundo Sol, trama das 21h de João Emanuel Carneiro na qual Hugo Moura, marido de Deborah Secco, viverá Robinho, garoto de programa que será agenciado por Laureta (Adriana Esteves), uma das vilãs do folhetim.

Fabiula Nascimento fala da emoção em contracenar com Emilio Dantas em Segundo Sol: “Ele é um parceiraço”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em entrevista ao Observatório da Televisão, o famoso falou sobre as cenas picantes que protagonizará no enredo e também de estar num mesmo trabalho que a mulher, que estará na atração como a megera Karola, que fará de tudo para separar os protagonistas, Beto Falcão (Emílio Dantas) e Luzia (Giovanna Antonelli).

Me conta um pouco sobre o personagem…

O Robinho é agenciado da Laureta. E a gente arma umas confusões, eu, o Ciro e os outros, a gente dá uma misturada nas coisas entre os personagens do Chay [Suede] e da Letícia [Colin]. O Robinho é o cara que traz o Ícaro [papel de Chay] para a agência da Laureta também.

Você fez teste? Como é que foi o convite para fazer o personagem?

Fiz um teste há muito tempo. Eu fiz muito bem o teste e quando eu voltei para casa eu falei: ‘Eu fiz o meu máximo, se não for essa, eu não sei’. E aí umas duas ou três semanas depois, a Vanessa [da equipe da produção] já me ligou: ‘Olha só, a gente está vendo seu material, o Dennis [Carvalho, diretor da trama] está vendo e a Maria [de Médicis, diretora] está vendo também’. Demorou mais uns dois meses e a gente já estava aqui com o contrato assinado.

Eu falei com a Deborah [Secco], e ela falou que está mais ansiosa que você.

É rapaz, ela fica muito ansiosa. A primeira cena que eu gravei foi em Salvador, que é ele chamando o Ícaro para a casa de Laureta e ela estava se tremendo inteira e eu falei: ‘Calma rapaz, é uma cena simples’. Enfim, eu estava muito menos nervoso do que ela, mas ela fica muito nervosa também com as cenas dela, é impressionante essa humildade dela.

Você fica a novela inteira ou você morre?

Deus queria que eu não morra, né?

E como é criar esse garoto de programa?

Eu converso com algumas pessoas lá de Salvador, alguns amigos meus que andaram por esses meios, e a gente troca muita ideia sobre isso, sobre como rola de tudo, sobre não ser só mulher. Os primeiros cinco minutos de conversa é sempre: ‘Não, a gente só sai com mulher’. Aí você dá mais cinco minutos e o cara fala: ‘Mas às vezes, quase nunca, aparece um cara com muita grana’. É isso!”

Letícia Colin fala sobre Rosa, prostituta que interpretará em Segundo Sol: “Tem uma autoconfiança, uma coragem que acho que eu não tenho”

Você vai contracenar com a Deborah?

Não tem nenhuma cena escrita ainda para a gente.

Você vai contracenar com homens na novela?

Não sei, até agora não.

Mas está preparado?

Estou, estou preparado.

E tem cenas quentes, já está fazendo?

Tem, tem cenas quentes sim.

Nanda Costa fala de seu novo visual para Segundo Sol: “A minha vaidade está sempre em ser coerente com meus personagens”

Você falou para ela [Deborah Secco] que tem cenas quentes?

Sim, ela está mais do que descolada em relação a isso. Ela tem cenas quentes também.

E como é representar a Bahia, porque você não precisa nem fazer prosódia, né?

Então, eu faço a prosódia de Deborah. No teste eles fizeram algumas perguntas como se fosse uma entrevista, a pergunta que mais me tocou foi: ‘O que a Bahia é para a minha filha’. E eu respondi que era a casa do papai. Mas basicamente é isso, eu representar a Bahia, é eu representar a minha casa, de onde eu vim.

É legal você baiano e estar no elenco né? Você acha que teve um peso?

Com certeza! Acho que sim.

Eu perguntei para a Deborah se o Hugo estava no contrato e ela disse não, não…

Não, eu fiz tudo direitinho. Fiz teste, fiz entrevista, volte, e enfim, demorou. A Deborah está escalada há muito tempo.

Mudou alguma coisa na alimentação para compor o personagem? A Deborah comentou que tem três dietas em casa…

Eu sigo uma dieta. Tem a minha, a da Deborah e da Maria [filha do casal]. A minha é muito mais restritiva do que a das duas, a Deborah come tudo, tudo o que ela quiser ela come e eu restritivo o tempo inteiro. Eu tenho uma tendência muito grande a engordar e eu por questões ideológicas também, óbvio, eu acho que o açúcar é uma das coisas que a gente tem que abolir e eu trato a dieta como um estilo de vida, às vezes eu seguro mais, às vezes eu afrouxo mais e agora eu estou segurando mais, óbvio.

Treinar é a mesma coisa também?

A mesma coisa. Eu gosto de correr, enfim…

Ter um papel menor te dá a liberdade de buscar sua filha na escola por exemplo.

É exatamente. Essa semana eu não gravei, mas assim, não estou gostando disso não, prefiro gravar mais e buscar também, enfim, a gente dá a nossa volta.

E você acha que o personagem pode criar uma nuance diferente para o que ele foi escalado, você acha que ele tem espaço para isso? Ele entra na segunda fase ou na primeira?

Entra na segunda fase. A nossa história é muito na casa de Laureta, sobre as pessoas que chegam na casa de Laureta, então assim, eu prefiro seguir o que o João está mandando, que é super bonito, super legal a história que ele está construindo nossa, então, eu prefiro deixar com ele, mas a gente vai dando umas pitadas.

A Deborah falou que você tinha desencanado, tinha feito teste, mas tinha outros projetos. O que você iria fazer?

Teatro. Teatro é o que eu amo fazer na minha vida, tudo que eu faço é para fazer teatro. Então, eu já tinha uma peça e já estava ensaiando uma outra peça, mas enfim, não deu. Mas aí agora eu estou lendo outras peças, vendo se a gente consegue fazer algum horário alternativo, enfim, eu não consigo parar.

E você tem uma ideia, porque a gente acaba de certa forma falando: ‘O Hugo é o marido de Deborah’, agora é outra coisa, porque vai mudar a sua vida. Você vem com um sex appeal, um personagem cheio de pegada e a mulherada pode ficar louca…

Não (risos), mas enfim, essa coisa do ‘marido da Deborah’, é uma coisa muito midiática, da mídia. Mas eu tenho um super orgulho de ser chamado de o marido da Deborah, porque eu a acho uma mulher excepcional e fora isso ela é uma profissional admirável, ela chega no horário, ela tem o texto decorado, ela estuda o texto dois dias antes.

Você não torce o nariz quando falam: “O marido da Deborah Secco vai fazer novela”?

Não, não. Eu fico super honrado disso.

“O marido da Deborah Secco tirou a roupa, vai aparecer de bumbum de fora”, porque você sabe que vai ter esse tipo de coisa…

Tomara, tomara que tenha. Enfim, eu já fiz uma web série que eu aparecia também de bumbum de fora e a gente tá ali e tem que ter um respeito ao personagem, eu só estou emprestado o corpo para alguém ter vida.

 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio