“Foi a novela mais difícil que já dirigi até hoje”, garante diretor de Novo Mundo, que estreia em março na Globo

Publicado há 4 anos
Por Cris Veronez
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela Sol Nascente, que ocupa a faixa das 18h da Globo e oferece uma trama que se passa nos tempos atuais, em breve será substituída por Novo Mundo – folhetim ambientado no Brasil do início do século XIX, entre 1817 e 1822, com o fio condutor da história da princesa Leopoldina (Letícia Colin) e de Dom Pedro (Caio Castro).

Em conversa com o Observatório da Televisão, o diretor artístico Vinicius Coimbra garantiu que esta foi a novela mais difícil que já dirigiu até hoje.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Foi um desafio enorme. Especificamente por causa da composição dos personagens. Setenta por cento do elenco tem algum tipo de sotaque, uma nacionalidade diferente. Isso muda não só o seu jeito de falar, mas o seu jeito de ser. Você ser uma princesa como Leopoldina muda a sua educação. Ela foi educada de um jeito muito específico, né? O jeito de se comportar e tal”, explica.

“E não falo só dos europeus… Temos índios também, por exemplo. Como o índio fala? Como ele olha? Foi bastante difícil essa direção, continua sendo”, acrescenta.

No elenco, estão ainda os atores Isabelle Drummond (como a escritora inglesa e professora de português Anna) e Chay Suede (como o ator Joaquim) – que vão repetir a parceria romântica que fizeram na primeira fase de A Lei do Amor, também da Globo – entre outros atores de peso da emissora.

Novo Mundo tem estreia prevista para março e é escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais