Relembre ou conheça curiosidades sobre a novela Fina Estampa

Publicado há 7 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela Fina Estampa, de Aguinaldo Silva, originalmente exibida entre 2011 e 2012 às 21h, será reprisada no mesmo horário a partir do próximo dia 23. O motivo é o cancelamento das gravações de Amor de Mãe – e de todas as outras novelas da TV Globo – por tempo indeterminado, devido à pandemia de coronavírus. Relembre ou conheça curiosidades sobre a novela.

Um grande sucesso de audiência, o que em parte explica a escolha de Fina Estampa para reprise

A novela fez bastante sucesso, embora fosse também bastante criticada na imprensa especializada por sua absoluta falta de novidades. Com média geral que varia entre 39 pontos (na praça da Grande São Paulo) e 41 pontos (conforme o Painel Nacional de Televisão), Fina Estampa foi a novela mais assistida da TV Globo na década passada. Superou, ainda que por pouco, o grande êxito de sua sucessora Avenida Brasil, cartaz do Vale a Pena Ver de Novo desde outubro de 2019.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Marido de Aluguel e Glória Pires

Por pouco, o nome da novela não foi Marido de Aluguel. É como Griselda (Lília Cabral), ou Pereirão, intitula o serviço que oferece, para mulheres sozinhas ou casadas com homens sem talento para a manutenção doméstica de encanamentos, fiações e aparelhos no geral. Ademais, Lília não foi a primeira opção para o papel. Inicialmente seria Glória Pires a intérprete de Griselda, mas a atriz fora escalada para a novela anterior do horário, Insensato Coração (2011), de Gilberto Braga e Ricardo Linhares.

Outros atores considerados para o elenco de Fina Estampa, mas que acabaram não participando da novela, foram Letícia Spiller (Tereza Cristina), Juliana Paes (Teodora) e Maurício Mattar (Ferdinand).

Muitos momentos de autorreferência do autor

Fina Estampa apresentou em diversas ocasiões referências a outros personagens e obras criados por Aguinaldo Silva. Com efeito, a Nazaré Tedesco (Renata Sorrah) de Senhora do Destino (2004/05) foi a mais reverenciada. Tereza Cristina matou pessoas da mesma forma que Nazaré, empurrando-as escada abaixo. Crô citou em certa ocasião a vilã de novela que matou uma pessoa jogando um ventilador ligado na banheira cheia d’água.

Também de Senhora do Destino veio o nome do jornal para o qual a jornalista Marcela Coutinho (Suzana Pires) trabalhava: Diário de Notícias, o mesmo que na novela anterior empregava Dirceu de Castro (José Mayer/Gabriel Braga Nunes).

Tia de Tereza Cristina, Íris (Eva Wilma) por vezes soltava frases que misturavam inglês e português, atitude que aludia à marcante Maria Altiva, que a atriz viveu em A Indomada (1997), de Aguinaldo e Ricardo Linhares.

Carlota Valdez, nome da suposta mãe verdadeira de Tereza Cristina, era o mesmo da personagem de Betty Faria em Suave Veneno (1999). Da mesma novela foi relembrado o vidente Uálber Cañedo (Diogo Vilela), citado pela vilã e por Crô. Ainda, Antenor, Patrícia e outros personagens estudavam na Universidade Pessoa de Moraes, criada por Aguinaldo para sua novela imediatamente anterior, Duas Caras (2007/08).

A última parceria de Aguinaldo Silva e Wolf Maya ocorreu em Fina Estampa

Fina Estampa marcou a última parceria (até aqui) entre o novelista Aguinaldo Silva e o diretor Wolf Maya. Anteriormente, eles trabalharam juntos em Senhora do Destino e Duas Caras, além da minissérie Cinquentinha (2009) e da série Lara Com Z (2011).

Na época da novela, Aguinaldo Silva e Walcyr Carrasco estiveram envolvidos numa pequena polêmica pública. A saber, meses antes da novela ir ao ar Aguinaldo teria confidenciado a Carrasco durante um jantar que em sua próxima história trataria de um filho, estudante de Medicina, que se envergonhava de sua humilde mãe. Morde & Assopra, de Walcyr, foi ao ar no mesmo ano, mas estreou alguns meses antes de Fina Estampa. Na novela de Walcyr, Guilherme (Klebber Toledo) era o estudante de Medicina que se envergonhava da mãe, Dulce (Cássia Kiss). Antenor e Griselda foram tomados como cópia desse entrecho, no entanto, foram criados antes.

A versão compacta “especial” que a TV Globo exibe a partir de 23 de março é a primeira reprise que Fina Estampa ganha. Isto é, se considerarmos os repetecos tradicionais; em 2017, a novela foi revisitada no quadro Novelão da Semana do extinto Vídeo Show.

Crô, o grande sucesso popular de Fina Estampa

Embora a protagonista “boa” Griselda não tenha sido ofuscada pela vilã Tereza Cristina, uma tendência da época, o personagem de maior sucesso da novela, com toda a certeza, foi o mordomo da malvada. Crodoaldo Valério, o Crô, marcou a volta do ator Marcelo Serrado à TV Globo após uma passagem de cinco anos pela Record TV. Só para ilustrar, nesses cinco anos ele teve alguns de seus melhores momentos na carreira, nas novelas Vidas Opostas (2006/07), de Marcílio Moraes, e Poder Paralelo (2009/10), de Lauro César Muniz.

Crô foi revisitado em dois filmes. Em 2013, Bruno Barreto dirigiu Crô – O Filme, com roteiro do próprio Aguinaldo Silva. Cinco anos depois, ocorreu o lançamento de Crô Em Família, dirigido por Cininha de Paula e também roteirizado pelo autor da novela e criador do personagem.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais