Ex-mulher já acionou a Lei Maria da Penha contra Hadson, do BBB20, mas diz “torcer por ele”

Publicado há um ano
Por Nayara Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Elen Cristina Vara, de 35 anos, é ex-mulher de Hadson, participante do BBB20, e contou já ter acionado a Lei Maria da Penha, contra o antigo companheiro. Na ocasião, os dois haviam se separado, e a vendedora relatou ter recebido mensagens pelas quais se sentiu ameaçada.

Entrevistada pelo jornal Extra, a mulher revelou que recebeu mensagens no Whatsapp. “Nenhuma separação é fácil. E no nosso caso não foi diferente. Na época, ele começou a me mandar mensagens pelo Whatsapp, mas prefiro não comentar o conteúdo. E eu não queria ficar lendo aquelas coisas. Foi então que resolvi procurar a Justiça”, relata.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após o pedido de Elen, o Tribunal da Justiça do Estado do Pará definiu uma medida preventiva, na qual o rapaz estava proibido de “frequentar a residência da vítima e o seu local de trabalho, a fim de preservar a integridade física e psicológica da requerente”.

“Temos dois filhos juntos. Um de 10 e outro de 14 anos. Já restabelecemos nosso contato e não tenho nada contra o Hadson. Fiquei assustada quando vi que informações desencontradas passaram a ser divulgadas nas redes sociais. Esses problemas ficaram no passado. Mas torço por ele, porque é o pai dos meus filhos”, completou a mulher.

Repercussão na web

Depois dos internautas terem descoberto esse fato, aconteceram vários burburinhos, e a família de Hadson se manifestou no perfil do Instagram do confinado, afirmando que não houve agressão da parte do ex-jogador de futebol.

“Tal vinculação é totalmente descabida e inverídica, tendo em vista jamais ter ocorrido qualquer tipo de agressão física entre Hadson e Elen. Prova disso é não existir ação penal sobre a suposta agressão física, nem tampouco exame de corpo e delito. Porém, torna-se imprescindível salientar que existiu sim o pedido unilateral de Elen, a aplicação de medidas protetivas, não por agressão física, mas sim devido mensagens via WhatsApp que Hadson enviava para Elen”, dizia a nota assinada pelo advogado Elson Júnior, representante do rapaz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio