Ex-autor da Record TV, Marcílio Moraes detona: “Faltou gestão competente e visão”

O novelista falou ainda que está trabalhando em novos projetos

Publicado há 4 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fora da Record TV desde o ano passado, quando chegou ao fim o contrato que tinha com a emissora, Marcílio Moraes diz que os anos de retomada da teledramaturgia do canal foram ricos e promissores, mas que depois a situação mudou.

“A Record teve a chance efetiva de virar o jogo, no sentido de afirmar-se como emissora de peso, alternativa ao império global. Infelizmente, faltou gestão competente e visão de longo prazo. A empresa perdeu-se nas mesquinharias das disputas internas e decisões equivocadas”, disparou o novelista ao RD1.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O profissional relembra que em 2015 renovou o vínculo que tinha com a empresa e que viu a mudança acontecer em alguns procedimentos. “Queriam que eu desenvolvesse os projetos que saíam da cabeça deles. O primeiro foi Dona Xepa. Eu achei que não tinha o menor sentido refazer Dona Xepa e me recusei”, exemplificou.

“A partir daí, o relacionamento com a direção da empresa ficou complicado: o que eu queria fazer eles não aprovavam e o que eles queriam que eu fizesse eu não fazia. Além disso, ainda surgiu a figura de uma ‘supervisora de texto’, com poder de interferir e reescrever o trabalho dos autores. Não havia mais espaço para mim”, avaliou o escritor.

Moraes contou ainda que segue trabalhando. “Tenho vários projetos para a televisão, de minisséries, seriados e mesmo novelas, para os quais estou começando a sondar esse novo mercado que existe por aí, de streaming, Netflix, Amazon, etc. Também estou produzindo um documentário, dirigido pelo Eduardo Quental, sobre o jurista e político da década de 60, San Tiago Dantas. Fora isso, estou terminando um romance”, concluiu.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais