Ex-ator global troca TV para viver em um barco

Ator participou de live sobre Malhação com Samara Felippo e falou sobre o atual momento de sua vida

Publicado há 4 meses
Por Arthur Pazin
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Afastado da telinha desde 2016, quando deixou de ser repórter do Como Será?, atração das manhãs de sábado da TV Globo, Max Fercondini trocou a TV para viver em um barco.

Durante uma live com Samara Felippo, no perfil oficial da atriz no Instagram, o ator, que participou de um bate-papo sobre Malhação 25 anos, projeto da atriz na plataforma durante a quarentena, falou sobre a nova vida que adotou. “Faz dois anos e meio que moro no barco.”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eu tenho viajado e passado por vários lugares diferentes”, contou o artista, que assumiu ter descoberto que ‘amor em cada porto’ não se trata de algo sexual.

É uma descoberta nova que eu faço, seja acompanhado de uma mulher ou então de um amigo. Para mim, esse amor em cada porto é uma descoberta pessoal que eu tenho feito”, disse.

Max, que atualmente está em Lisboa, falou também sobre o fim de seu relacionamento com a atriz Amanda Richter, com quem ficou por nove anos e viajou de motorhome pela América do Sul, além de fazer uma expedição com monomotor pelo Brasil.

Quando me separei, estava fazendo terapia para tentar entender melhor esse momento. E não só entender esse momento, mas me conhecer melhor. Numa das últimas sessões, perguntei para minha terapeuta se eu deveria encontrar outra mulher para fazer essa próxima viagem comigo, agora de barco“, lembrou o ator, que teve como resposta a procura pelo amor em cada porto.

Então falei para ela: ‘Vitória (a psicóloga), a senhora pode passar isso por escrito, ser uma prescrição médica, porque vai facilitar minha vida. Vai ser mais fácil para eu explicar que estou em viagem, que estou num outro momento da vida’. E a gente deu risada”, relatou.

Assista à live:

Carreira na TV

Além de participações em séries e programas, Max Fercondini possui em sua carreira 11 novelas e uma minissérie. Com exceção de sua participação especial em Laços de Sangue (2010), na emissora portuguesa SIC, todos os trabalhos do ator foram na TV Globo.

Ele estreou na Vênus Platinada em 2000, na pele de Freddy, o herdeiro de Frederico Berger (Floriano Peixoto), protagonista de Esplendor, novela das 18h de Ana Maria Moretzsohn com direção de Wolf Maya.

Max Fercondini como Freddy em Esplendor (Foto: Reprodução/TV Globo)

No mesmo ano, o ator integrou o elenco de Laços de Família, trama das 20h de Manoel Carlos com direção geral de Rogério Gomes e núcleo de Ricardo Waddington, onde viveu Fábio, um rapaz interessado por Íris (Déborah Secco).

No ano seguinte, ele ganhou seu primeiro destaque na TV ao dar vida a Léo, irmão de Gui (Iran Malfitano), o protagonista de Malhação 2001. Na história de Andréa Maltarolli, Max disputava o amor de Nanda (Rafaela Mandelli) com o irmão, mas acabou logo se envolvendo com Bia (Fernanda Nobre).

Gui (Iran Malfitano), Nanda (Rafaela Mandelli) e Leo (Max Fercondini) em Malhação 2001 (Foto: Divulgação/TV Globo)

Após a novelinha teen, o ator fez Agora é que são elas, novela de Ricardo Linhares às 18h. Na trama, ele interpretou Hugo, namorado de Elis (Stephany Britto) e filho do político corrupto Modesto (Otávio Augusto).

Stephany Brito e Max Fercondini em Agora é que são elas (Foto: Divulgação/TV Globo)

Em 2004, Max participou da minissérie Um Só Coração, projeto de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira em comemoração do aniversário de São Paulo.

Na história, seu personagem João Cândido, o Candinho, era filho do Coronel Totonho (Tarcísio Meira) e tinha o amor disputado por Ucha (Leandra Leal), filha do anarquista inimigo de seu pai, e pela japonesa Rita (Renata Sayuri).

No mesmo ano, o ator voltou a contracenar com Stephany Brito em Começar de Novo, novela das 19h de Antônio Calmon e Elizabeth Jhin, onde ele viveu Murilo, o sobrinho do prefeito de Ouro Negro (Carlos Vereza), que cai nas graças da jovem, mas também vive um romance com Carmem (Paloma Duarte).

Carmem (Paloma Duarte) e Murilo (Max Fercondini) em Começar de Novo (Foto: Divulgação/TV Globo)

Em 2006, Max atuou novamente em uma novela de Manoel Carlos ao interpretar Sérgio, o irmão de Nanda (Fernanda Vasconcelos) em Páginas da Vida.

Nanda (Fernanda Vasconcelos) e Sérgio (Max Fercondini) em Páginas da Vida (Foto: Divulgação/TV Globo)

Na trama das 21h, ele fez seu terceiro par romântico com Stephany Brito e se envolveu, novamente na ficção, com Leandra Leal, que vivia Sabrina, amiga de sua irmã.

De volta às 19h, no ano seguinte o ator esteve no elenco de Sete Pecados, estreia de Walcyr Carrasco na faixa, onde deu vida ao taxista Aquiles, amigo do protagonista Dante (Reynaldo Gianechinni) e namorado de Carla (Mel Lisboa).

Max Fercondini como Aquiles em Sete Pecados (Foto: Reprodução/TV Globo)

Em 2008, Max fez seu primeiro co-protagonista, em Ciranda de Pedra, segunda adaptação para a TV do clássico de Lygia Fagundes Telles, escrito por Alcides Nogueira com direção de Carlos Araújo e núcleo de Denise Saraceni.

Max Fercondini como Conrado Cassini em Ciranda de Pedra (Foto: Divulgação/TV Globo)

No folhetim das 18h, ele viveu Conrado Cassini, o vizinho e grande paixão de Virgínia (Tammy di Calafiori), personagem interpretado por Roberto Pirilo na primeira versão, nos anos 80.

Em seu terceiro papel com o autor Manoel Carlos, no ano seguinte o ator integrou o time de Viver a Vida, na pele do médico Ricardo, namorado de Elen (Daniele Suzuki), amiga da protagonista Helena (Taís Araújo).

Elen (Daniele Suzuki) e Ricardo (Max Fercondini) em Viver a Vida (Foto: Divulgação/TV Globo)

Depois de passar pela TV portuguesa e fazer um especial de fim de ano da Globo, ele voltou às novelas em 2011, como o delegado Wilson Villanova, em seu segundo trabalho junto ao autor Walcyr Carrasco, em Morde e Assopra.

Melissa (Marisol Ribeiro) e Wilson (Max Fercondini) em Morde e Assopra (Foto: Divulgação/TV Globo)

Na trama das 19h, o personagem de Max substitui o posto do pai, Dr. Eliseu (Tarcísio Filho), na delegacia de Preciosa após seu assassinato. Ex-namorado de Keiko (Luana Tanaka), ele tenta esquecer a ex com Melissa (Marisol Ribeiro).

Seu último trabalho nas novelas foi em 2013, em Flor do Caribe, enredo das 18h de Walther Negrão com direção artística de Jayme Monjardim. Na trama, o ator fez Ciro, piloto da Base Aérea de Natal, onde trabalhava o protagonista Estevão (Henri Castelli).

Estevão (Henri Castelli), Amadeu (Dudu Azevedo), Rodrigo (Thiago Martins) e Ciro (Max Fercondini) em Flor do Caribe (Foto: Divulgação/TV Globo)

Mimado e de família rica, ele era apaixonado por Isabel (Thaissa Carvalho), piloto durona e dedicada com quem disputava com Amadeu (Dudu Azevedo).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais