“Eu não queria ser artista, quiseram por mim”, diz Maitê Proença no The Noite

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por muito tempo contratada pela Globo e agora livre da emissora carioca, a atriz Maitê Proença foi a convidada desta madrugada de terça para quarta (25) do The Noite, talk-show apresentado por Danilo Gentili no SBT.

Numa conversa onde falou sobre tudo, Maitê contou uma curiosidade sobre sua carreira: ela não queria ser atriz de televisão, com tudo acontecendo por acaso e por escolha de outras pessoas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Clécio exagera no açúcar em bolo e deixa MasterChef Profissionais

“Eu não queria ser artista, quiseram por mim. Foi muito por acaso, de verdade. Eu tinha televisão em casa, mas meu pai não deixava a gente assistir”, disse a interprete de grande papéis, como Dona Beija.

Maitê também relembrou papéis como a professorinha de O Salvador da Pátria, e afirmou que, nos anos 80, os atores eram mais próximos uns dos outros, e que a falta do Projac – ou Estúdios Globo atualmente – fazia existir uma grande união entre eles.

“Naquela época não tinha Projac, então íamos para a locação. No caso de Salvador da Pátria foi Volta Redonda. Nada contra Volta Redonda, mas não tínhamos aquela vida noturna. Ficávamos um mês na locação, conversando, entretendo a gente mesmo”, afirmou.

Maitê também comentou uma curiosidade sobre a primeira novela que fez, Dinheiro Vivo, da extinta TV Tupi. Segundo Maitê, a emissora já estava totalmente falida e que operadores de câmera era figurantes da novela por falta de verba para contratar figurações profissionais.

“Foi a última novela que fizemos na Tupi. E a TV não tinha dinheiro para mais nada. Os operadores travavam as câmeras e iam fazer figuração porque não tinha dinheiro nem figuração”, concluiu a atriz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio