Estreia da série Assédio comove público; Adriana Esteves é destaque

Publicado há 2 anos
Por Fabio Augusto
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Globo exibiu nesta segunda (15) o primeiro episódio da série Assédio na TV.

Embora já esteja completa no Globo Play – plataforma de streaming da emissora -, muitos telespectadores assistiram a produção pela primeira vez.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E de acordo com as reações nas redes sociais, diversas pessoas se impressionaram com a qualidade da produção.

Além disso, vários comentários destacaram que várias cenas foram “pesadas”. Vale lembrar que a série é baseada na história de Roger Abdelmassih.

Leia mais: Assédio: Atrizes passaram mal com cenas de estupro na série

O médico foi condenado a mais de 200 anos de prisão após estuprar mais de 50 mulheres durante consultas.

Entretanto, atualmente ele cumpre prisão domiciliar.

Na série, quem vive o personagem principal é Antonio Calloni, em uma interpretação impecável.

Internautas comentam estreia de Assédio

No Twitter, muitas pessoas se mostraram revoltadas com as cenas apresentadas na série. Já outras sentiram principalmente medo e terror.

Muitas reações, porém, destacaram a estética da série, bem como a interpretação dos personagens principais e o texto da autora Maria Camargo.

A série Assédio também já foi elogiada por críticos e internautas que já a assistiram na íntegra pela internet.

Confira algumas reações do público sobre a estreia de Assédio:

Adriana Esteves é destaque

De Laureta para Stela: Além de Segundo Sol, Adriana Esteves teve destaque na nova série da Globo.

Em Assédio, ela vive Stela, a primeira paciente que sofre abusos do médico.

A personagem sonha em ser mãe e passa por uma sessão de reprodução assistida monitorada pelo estuprador.

Leia mais: Conheça a história e os personagens da série Assédio

A atuação de Adriana, como já é de praxe, chamou atenção dos fãs.

A atriz, inclusive, foi bastante elogiada tanto pela personagem quanto pelo seu discurso em apoio à série.

“A minha personagem foi uma mulher que não tinha tanta estrutura para brigar, para lutar, para falar o que aconteceu, pra gritar. Ela se calou. Acho que ela simboliza a que não consegue falar”, contou em entrevista ao Gshow.

De acordo com a atriz, a produção vai ao ar na hora certa.

“A minha opinião é que esse assunto tem que ser falado, muito, muitas vezes, e bem alto, ele tem que ser gritado”, revelou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio