Espelho da Vida: Cris tem sua primeira experiência como Julia Castelo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Espelho da Vida, Cris (Vitória Strada) está muito envolvida pela história de Julia Castelo. A vontade de desvendar os mistérios que envolvem o assassinato da jovem na década de 1930 a levam a explorar cada vez mais o casarão onde viveu e morreu Julia. Todos os indícios e coincidências fazem com que ela acredite que Julia é sua vida passada. Cris segue sozinha em direção ao casarão e, com a chave em mãos, entra no lugar em ruínas e segue em direção ao quadro que a fez descobrir que ela e Julia são idênticas. Mas o objeto não está mais ali.

Confusa, ela sobe as escadas até que seu telefone toca. É Alain (João Vicente de Castro), mas ela não atende, está totalmente focada naquela experiência. Entra no quarto e percebe que tudo está como da última vez que visitou o cômodo. Ao abrir o armário, Cris pega o vestido que está em melhor estado e o experimenta. Para completar o figurino, coloca o camafeu que André (Emiliano Queiroz) lhe entregou no cemitério. Ao tentar limpar o espelho com as mãos para que consiga ver seu reflexo, algo mágico e inusitado acontece.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Rodrigo Simas surge de visual novo após fim de novela

Em Espelho da Vida, Cris passa a conviver com os parentes de Julia Castelo

Cris leva um susto ao perceber que está exatamente como uma jovem de 1932, como a própria Julia Castelo. O quarto está novo, limpo e arrumado. No camafeu está o retrato de Julia, e o diário que ela conhece velho e amarelado está com todas as páginas em branco. Sem saber o que fazer, ouve uma voz que chama por Julia. É Piedade, mãe da jovem. Cris abre a porta e percebe que o rosto da mulher que encontra lhe é familiar.

As cenas vão ao ar a partir de segunda-feira, dia 8. Espelho da Vida é uma novela de Elizabeth Jhin, escrita com Duba Elia, Renata Jhin, Wagner de Assis e Maria Clara Mattos, e tem direção artística de Pedro Vasconcelos, direção geral de Claudio Boeckel e direção de Luis Felipe Sá, Rafael Salgado e Tande Bressane.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio