Especialista esclarece o que é mieloma múltiplo, câncer que vitimou a jornalista Cristiana Lôbo

Comentarista da GloboNews faleceu nesta quinta-feira (11)

Publicado em 11/11/2021 15:58
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Aos 63 anos, a jornalista da GloboNews, Cristiana Lôbo morreu na manhã desta quinta-feira (11), em decorrência de um mieloma múltiplo, que foi agravado por uma pneumonia contraída nos últimos dias. 

O velório da comentarista está previsto para ser realizado em Brasília. O PhD, neurocientista, psicanalista e biólogo Fabiano de Abreu, esclarece o que é a doença. “Uma espécie de câncer que ataca os plasmócitos, células presente no sangue que se originam na medula óssea e que pertence ao sistema imunológico da pessoa”, explica.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A doença faz com que as células se multipliquem sem controle, causando uma série de transtornos ao indivíduo. “O excesso de proteínas que vem acompanhado desta multiplicação celular suprime o desenvolvimento de outros elementos importantes para o organismo como os glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas (partículas semelhantes a células que ajudam o corpo a formar coágulos). Tudo isso ainda vai afetar a produção de anticorpos de defesa normais, que fica reduzida”, diz.

De acordo com Fabiano, “o mieloma múltiplo causa sintomas como dores nas costas ou dor óssea em outros lugares, fraturas, fraqueza, fadiga, febres e formam hematomas, além de terem seu sistema imune enfraquecido”. Para identificar a doença, são realizados exames de sangue, que podem revelar alguns fatores importantes como anemia, redução da contagem de glóbulos brancos, diminuição no número de plaquetas ou quadro de insuficiência renal.

Além disso, antes de apresentar tais sintomas, é possível descobrir a doença. “Nesses casos, exames vão mostrar que a pessoa possui níveis elevados de proteína no sangue ou na urina, ou uma radiografia pode apresentar áreas de perda óssea. Essa última situação pode se apresentar com lesões líticas isoladas nos ossos”, explica o profissional.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio