Especial Falas da Vida homenageia Dia Internacional dos Direitos das Pessoas Idosas

Globo exibe a atração no dia 1o de outubro, com apresentação de Zezé Motta

Publicado em 14/09/2021 21:01
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eles representam 18,9% da população brasileira. São mais de 40 milhões de pessoas que trabalham, cuidam, inovam, cantam, apoiam, namoram, sonham e fazem acontecer no cotidiano, na economia, na família e em toda a sociedade. Em um primeiro momento, talvez poucas pessoas associem que estamos falando de brasileiros com mais de 60 anos. E eles são o tema do especial Falas da Vida, da Globo, que, não à toa, será exibido no 1º de outubro, Dia Internacional dos Direitos da Pessoa Idosa.

A data marca o combate a todo tipo de preconceito e dá voz para essas pessoas, que estão cada vez mais ativas, presentes e necessitadas de reconhecimento dos seus direitos constitucionais das pessoas idosas. Com apresentação de Zezé Motta, atriz e cantora de 77 anos, o especial vai apresentar ao Brasil cinco personagens, até agora anônimos, mas com o potencial de representarem cada um desses milhões de outros, por meio do que eles têm de sobra: suas histórias.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com direção geral de Patricia Carvalho; consultoria de Hamilton Vaz Pereira; e roteiro de Ines Stanisieri, o especial faz uma homenagem aos idosos brasileiros e reconhece seu papel determinante no país.

“Contaremos as histórias de vida e as conquistas dessas pessoas. Todos são otimistas em relação à vida no presente. Queremos fazê-los entender – e os espectadores também – o impacto que têm na vida das pessoas e que muitas vezes nem imaginam”, comenta Patrícia Carvalho.

A escolha dos personagens respeitou as características desse segmento etário da população, segundo o perfil desenhado pelos dados oficiais do IBGE. Como a maioria das pessoas idosas do país, os velhos e velhas do especial são batalhadores depois dos 60, participam da geração de riqueza na sociedade, moram em vários arranjos familiares e têm renda média em torno de R$ 2.200,00.

Mesmo aposentados, trabalham, geram renda e cuidam da família. Muitas vezes, são as pessoas mais importantes da casa, os chefes do lar. Ou seja, quebram tabus associados com a ideia de velhice do século passado.

“Vimos algumas histórias que se repetem bastante entre as pessoas idosas, como os que são arrimos da família e além de cuidar dos netos, cuidam de outros idosos; pessoas que precisam trabalhar mesmo com a aposentadoria; e que não imaginavam chegar tão bem à idade que têm. Há, ainda, o idoso empreendedor, que tem uma aposentadoria, mas faz algo dentro de casa para complementar a renda; a que viu sua vida mudar após um divórcio, aquela que turbinou sua autoestima e busca relacionamentos; e o que mora em uma ILPI, instituição de longa permanência pra idosos”, explica Patricia.

No início da nossa pesquisa, achamos que um dos maiores medos das pessoas quando ainda jovens é a solidão, ser abandonado pela família. E não é necessariamente isso que acontece. Com cada uma dessas histórias, mostramos a realidade das pessoas idosas, mas também a resiliência e muita disposição para viver o presente. Não existe esse negócio de ‘apesar da idade’. Apesar de limitações inevitáveis, tudo ainda pode ser sonhado”, comenta. “Acredito que Falas da Vida será um especial inspirador e encorajador, nossa expectativa é gerar esse sentimento em quem nos assiste”, finaliza a diretora.

Falas da Vida tem direção geral de Patrícia Carvalho, direção de Ivone Happ e roteiro assinado por Ines Stanisieri, com produção de Beatriz Besser. Rafael Dragaud é o diretor executivo e Mariano Boni, diretor de gênero. O especial vai ao ar na TV Globo no dia 1º de outubro, logo após Império; e será exibido ainda no GNT, dia 4 de outubro.

Personagens

Bebel (75 anos) – Mora com um filho, a nora, três netos e um bisneto. É a mola propulsora dessa família multigeracional que vê nela a grande inspiração e orgulho para todos eles. Nascida num povoado no coração dos Lençóis Maranhenses, a palavra de ordem de dona Bebel é a educação. Professora desde muito jovem, foi a responsável pela alfabetização da região onde mora. Além de professora a vida mostrou pra Bebel um caminho diferente do que ela estava acostumada, a saúde. Ela abraçou o desafio, passou em um concurso público na área e se tornou uma figura central no apoio às necessidades da sua comunidade. Tanto trabalho e dedicação não impediram que essa pequena grande mulher criasse seis filhos, 15 netos e 11 bisnetos, por enquanto. #ArrimoDeFamília

Chicão (89 anos) – Vive numa ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Escolheu o trabalho como o seu grande objetivo e meta de vida. Foi pedreiro, ajudante geral e faxineiro, e hoje, aos 89 anos, não tem ninguém além de suas lembranças e memórias. Apaixonado pela Folia de Reis, recorda com alegria seus tempos de folião. A gaita e o cavaquinho são suas paixões. Diariamente, Chicão cuida do abacateiro do jardim. Tem dias que ele colhe até 15 abacates com uma engenhosa tranquitana inventada por ele. Alto astral e alegre, agradece profundamente pelo teto que tem, e às pessoas do residencial são sua grande família. #SemPreconceito

Gracinda (72 anos) – Encontrou nas faxinas o seu combustível para a vida. Ex-bancária, casada, mãe de cinco filhos, tinha uma vida estabilizada e confortável, até que a separação a levou a uma depressão profunda. O balde, a vassoura e o pano de chão se tornaram seus grandes aliados e além da arrumação externa que eles proporcionavam, fizeram uma limpeza na dor do seu coração. O orgulho pelo seu novo trabalho inspirou netos e pessoas próximas, e trouxe novos horizontes para sua vida. Hoje ela desfila, é modelo e foi 3º lugar no Miss Jacarepaguá. #Autoestima

Joãozinho Carnavalesco (74 anos) – Joãozinho flertou com o sucesso durante muito tempo da sua vida, fez parte do Trio Mocotó, Originais do Samba e tentou carreira solo. Compositor de “Alegria de domingo”, sucesso cantado em mais de 17 países, seu grande sonho sempre foi ser reconhecido com o autor dessa obra. Hoje vive com a renda de um salário mínimo e pequenos cachês de shows que faz quando é convidado. A carreira sempre foi sua prioridade, e na esteira dessa vida ficaram quatro filhos que hoje sonham em ter um pai mais presente. #MeuTempoÉHoje

Regina (65 anos) – Se a vida fosse uma matemática lógica, poderíamos dizer que destes 65 anos, mais de sessenta foram totalmente dedicados a cuidar de alguém. Regina criou todos os irmãos, ela é a terceira filha de 15. Casou, teve dois filhos biológicos e uma filha de criação, por quem nutre um grande amor. Quando os filhos ainda eram pequenos, André, seu marido, se tornou alcoólatra e durante toda sua vida Regina cuidou dele. Há mais de sete anos, ela cuida da sogra com Alzheimer. Regina é forte, o sorriso está presente no seu rosto, a forma leve como a encara os obstáculos que a vida impôs vão inspirar o telespectador a sacudir a poeira e dar a volta por cima. #RealidadeBrasileira

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio