Equipe do Metagaming entrou em choque com desejo de “entretenimento e agenda positiva” da Loading

Mais de 10 profissionais, que compunham a equipe do programa Metagaming, deixaram o canal após divergências internas

Publicado há um mês
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na tarde desta sexta-feira (11), o público que vem acompanhando o canal Loading, que estreou na última segunda, foi surpreendido pela notícia de uma demissão em massa da equipe de um programa do canal, o Metagaming. Tudo começou quando os profissionais se pronunciaram nas redes sociais.

A princípio, muitos deles alegaram falta de liberdade editorial, enquanto outros fizeram referências com a possibilidade de censura. Até as famosas receitas de bolo, que durante o Regime Militar (1964-1985) indicaram nos jornais os espaços que deveriam ser ocupados por textos impedidos de serem publicados, deram as caras nas postagens dos demitidos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Hoje, não faço mais parte da Loading, assim como a editoria inteira do Metagaming – todos nós estamos fora do projeto. Agradeço demais à equipe incrível da qual fiz parte, que conseguiu entregar dois programas maravilhosos apesar das dificuldades”, escreveu Barbara Gutierrez, uma das apresentadoras.

Porém, o Observatório da TV ouviu algumas pessoas sobre o que aconteceu na emissora e os relatos foram os mesmos. Segundo a nossa fonte, alguns problemas estavam acontecendo desde o começo dos trabalhos da equipe na Loading.

Além da reclamação da estrutura, os profissionais também não teriam assinado um contrato de trabalho no ato da contratação. A demissão foi assinada junto com o documento de admissão. Logo depois, surgiu o problema com a liberdade editorial.

“Até a estreia do programa só tivemos problemas com estrutura, a ponto de a gente pedir para que a estreia fosse adiada porque a gente não tinha condições de estrear”, disse a fonte. Logo depois, o motivo do primeiro ‘desentendimento’ foi explicado.

No primeiro programa Metagaming, levado ao ar na segunda-feira (7), foi exibida uma reportagem sobre um streamer conhecido como Sparda, que arrecadou dinheiro na internet, mas está sendo acusado de ter usado o dinheiro para outras coisas, informação revelada na estreia.

A direção da Loading teria dado um feeback negativo sobre a reportagem, afirmando que aquela foi uma coisa negativa e não poderia ser assim. A matéria foi elogiada pelo público nas redes sociais.

Na segunda edição levada ao ar, na terça-feira (8), matéria com o dono do time Vivo Keyd, de League of Legends, falou sobre a equipe ter ficado fora do campeonato brasileiro da modalidade. O executivo fez algumas críticas à Riot Games, empresa dona do jogo e organizadora das competições.

O que eles não contavam, é que essa matéria acabaria desagradando a alta cúpula da Loading, por se tratar de uma empresa parceira [Riot]. Afinal, a empresa está levando o primeiro campeonato de League of Legends ao canal. Na manhã da quarta-feira (9), após a exibição da matéria, o editor-chefe do Metagaming, Vicenzo, foi demitido.

Posteriormente, a equipe teria questionado em uma reunião se não poderia falar sobre assuntos polêmicos como esses abordados. Além disso, também perguntaram como seriam noticiados casos envolvendo machismo, racismo e tudo mais que ocorre dentro do cenário, mas a equipe teria sido avisada que o foco não seriam as denúncias.

Começou então o planejamento de um documento para especificar o que poderia ser feito, seguindo a ‘agenda positiva da empresa’. “A gente deixou muito claro que não iríamos fechar os olhos para as coisas erradas que acontecem”, disse a fonte.

Esse documento estaria pedindo liberdade editorial, liberdade de comentários para críticas e também cobrando outras coisas como estrutura de trabalho, contrato assinado, plano de saúde e uma série de outras reivindicações. “Já tinha sido combinado que, se a empresa negasse, todos da editoria pediriam demissão”, afirmou a fonte do Observatório da TV.

Na reunião da manhã desta sexta-feira, o CEO da empresa, Thiago Garcia, anunciou que a Loading e a equipe tinham um “desalinhamento editorial muito grande“, e a empresa teria pensado o programa de uma maneira diferente. Então por conta disso, todos estavam demitidos.

O Observatório da TV voltou a entrar em contato e a emissora afirmou que não vai comentar sobre a questão dos acordos contratuais, mas repetiu a nota de esclarecimento. Confira:

“Nós sabíamos que seriamos demitidos desde que fizemos as nossas reivindicações”, concluiu a fonte. A emissora se pronunciou quando a notícia da demissão em massa começou a circular. Confira a nota de esclarecimento:

Devido ao desalinhamento entre o posicionamento da Loading, focado em entretenimento, e o time editorial do programa Metagaming, decidimos reestruturar a atração.

Importante frisar que o core da Loading é o entretenimento e a agenda positiva. Dessa forma, buscaremos entregar conteúdos que engrandeçam ainda mais o eSports, porém com a linha editorial focada no entretenimento.

Agradecemos publicamente todo o time do Metagaming que dividiu conosco esses últimos meses, inclusive a incrível estreia. Seguimos em caminhos diferentes, mas com a certeza da competência e do sucesso de todos vocês. Obrigado por fazerem parte da nossa história.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio