“Entre amigos, quem é que não fala m*rda?”, questiona William Waack

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira (15), William Waack cedeu a primeira entrevista após ter sido demitido da Rede Globo por causa de um vídeo que vazou na internet no qual o jornalista aparece fazendo um comentário racista.

Sobre a polêmica, o profissional declarou à TVeja que fez “uma brincadeira”. “Vou usar uma linguagem bastante popular que eu acho que pega em todo mundo que nos acompanha. Entre amigos, quem é que não fala merda? Quem é que de vez em quando não solta uma piada completamente fora do esquema e não está acreditando naquilo mesmo que está falando?”, indagou o famoso.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu disse uma grande bobagem sem acreditar em nada daquilo, não acho que tenha sido uma manifestação racista e peço desculpa a quem se sentiu ofendido. Pessoal, foi mal, falei uma bobagem no ar que nunca foi transmitida. No ar, eu quero dizer, ela estava dentro de um esquema de transmissão. Essa imagem era interna, ela foi roubada”, explicou Waack.

Globo fica aliviada após acordo com William Waack

Questionado sobre o que mudou em seu comportamento, William declarou que lhe faltou sensibilidade. “Faltou sensibilidade de imaginar que uma bobagem dita daquele jeito tivesse um alcance tão grande e enfurecesse e ofendesse um número grande de pessoas as quais eu peço desculpas com toda a sinceridade. Não tinha a intenção alguma de ofender alguém. Eu sou parte do povo brasileiro, morei 21 anos fora do Brasil, gosto de dizer que não conheço povo mais brincalhão, irreverente, que não leva muito as coisas a sério, eu sou um brasileiro normal nesse sentido. O que me preocupa é ver que esses grupos organizados estão tratando esses canalhas do linchamento, nas palavras do filósofo Luiz Felipe Pondé, eles estão preocupados em tirar de nós brasileiros uma parte importante do nosso caráter nacional, que é a nossa capacidade de ser irreverente, de ser brincalhão, de ser malandro, de ser o que a gente é. Eles mexem com algo que me parece ser profundo a nossa alma”, opinou William.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio