Emicida traça paralelo entre pandemia e desigualdade social: “Paradoxo triste”

Rapper deu show de consciência política para Fausto Silva

Publicado há 4 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O cantor Emicida deu o que falar em participação (remota) no Domingão de Faustão. Por meio de videoconferência, ele bateu papo com o apresentador Fausto Silva a respeito de vários temas polêmicos, com a desigualdade social, a pandemia do coronavírus e o racismo.

As mudanças que a gente precisa não estão necessariamente ligadas ao corona. A pandemia não é uma escolinha onde a gente está aprendendo como é importante a gente se entender como humano e ajudar todos os outros. A gente está vivendo um paradoxo triste“, analisou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por um lado, a gente enfrenta um vírus que se espalha muito rápido, mas que não tem uma letalidade tão grande, agora, o que é extremamente letal são os abismos sociais que a nossa sociedade produziu e finge que não existe“, acrescentou o intérprete de Boa Esperança.

A morte brutal do cidadão afro-americano George Floyd, que gerou protestos antirracismo em todo o mundo, também foi abordada por Emicida.

A gente finge que isso é um problema de lugares como África do Sul ou dos Estados Unidos. Essa tragédia está fazendo o mundo inteiro fazer uma reflexão a respeito de como estruturalmente muitas pessoas, mesmo que não percebam, corroboram com essa estrutura racista“, ponderou.

No Twitter, as palavras e os posicionamentos do rapper foram bastante celebrados pelos usuários. Confira algumas reações.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais